A historia do Brasil no Atlântico Sul

… o trato negreiro não se reduz ao comércio de negros. De conseqüências decisivas na formação histórica brasileira, o tráfico extrapola o registro das operações de compra, transporte e venda de africanos para moldar o conjunto da economia, da demografia, da sociedade e da política da América portuguesa[1]. A partir do momento em que um […]

O mito da especialização produtiva em vantagens comparativas como caminho para o Desenvolvimento Economico

Ricardo Hausmann explica de maneira bastante clara o mito da especialização produtiva em vantagens comparativas como caminho para o Desenvolvimento econômico a partir da perspectiva da complexidade (grafico acima https://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/0909/0909.3890.pdf). As vantagens comparativas na produção de bens e serviços surgem pois, como sabemos, todo mundo não e’ bom em fazer de tudo. Cada um se concentra […]

Não existe desenvolvimento econômico pela via agrícola

O gráfico acima mostra a participação dos empregos agrícolas no total de empregos no mundo para diversos países em 2011 (base de dados WIOD http://www.wiod.org/new_site/home.htm). A ordenação do eixo X esta feita em termos de renda per capita real (PPP), da menor para a maior. Fica bem claro nessa amostra que não há desenvolvimento econômico […]

A complexidade das manufaturas ou o que produz uma “knowledge economy”?

Para os clássicos do desenvolvimento econômico a industrialização sempre foi o caminho por excelência para se desenvolver e aumentar a produtividade de um país. Os argumentos estruturalistas têm como pilar a ideia de que o setor industrial e’ a chave para o aumento de produtividade de uma economia. Desde o argumento da tendência declinante dos termos de troca, passando pela ideia de Prebsich de […]

Paul Romer “traiu” seus amigos e honrou a ciência

Vale muito a pena ler o ultimo texto de Paul Romer sobre a situação da macroeconomia hoje. Basicamente Romer argumenta que a enorme sofisticação da modelagem nos últimos anos somada à falta de espírito científico dos macroeconomistas resultou num retrocesso de conhecimento de mais de 30 anos. O macroeconomista típico de hoje sabe menos do […]

O tipo de emprego condiciona a produtividade do trabalhador

O gráfico acima retirado de um livro do IPEA sobre produtividade (http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&id=23986 capitulo 8) mostra como a produtividade do trabalho varia conforme os diferentes tipos de ocupação na economia brasileira em 2009. As características intrínsecas de cada subsetor (estoque de capital per capita ou grau de automação, domínio tecnológico, nível de divisão do trabalho, etc) […]

Visual em rede complexa de um mercado competitivo

A rede acima mostra o visual do mercado de parts of metalworking machine tools (SITC) em 2013. Trata-se de um mercado bastante competitivo com vários países participantes; não ha grandes HUBS em termos de domínio de mercado. A rede abaixo retrata o mercado de lead ore, dominado pela China e mais alguns países; trata-se de um […]

Ortodoxia x Heterodoxia: qual o seu programa de pesquisa preferido?

Para que possamos entender a diferença entre ortodoxia e heterodoxia temos que entender o significado desses termos. O termo ortodoxia tem sua origem no grego, onde “orthos” significa “reto” e “doxa” significa “fé” ou “crença”. Ortodoxo significa, portanto, aquele que segue fielmente um princípio, norma ou doutrina. Está claro que a origem etimológica do termo […]

A principal diferença entre um país rico e um país pobre: a estrutura produtiva 

O gráfico acima mostra de forma resumida o que diferencia um país rico de um país pobre: a estrutura produtiva. No eixo X temos a porcentagem dos empregos de um país em atividades manufatureiras e de serviços sofisticados (http://www.wiod.org/new_site/home.htm). No eixo Y a complexidade produtiva de cada país medida a partir da diversidade e ubiquidade […]

Dolce far niente

Ainda sobre o desenho do Euro (ou do neuro, como diriam alguns hoje) vale a pena dar uma olhada no que tem dito a turma do Gavekal. Numa analise de 2002 ainda, se não me engano, eles argumentavam que a moeda única na Europa causaria uma distorção enorme no continente com excesso de indústrias na […]