A benevolência do padeiro e a contradição básica de Adam Smith: quando o mercado não resolve?

Smith nos ensina que a carne e o pão são vendidos pois o padeiro e açougueiro querem ganhar dinheiro. Não é da benevolência deles que vêm nossos alimentos. O egoísmo dos produtores na busca do lucro promove “o bem estar da sociedade” através da venda (e compra) dos produtos no mercado. O sistema de preços anula excessos de oferta e demanda e traz os preços de equilibro que satisfazem ofertantes e demandantes. Só que se o padeiro ou o açougueiro conseguirem montar um monopólio ou oligopólio o bem estar social fica prejudicado! O sistema de mercado leva a um resultado subótimo. O próprio Smith identificou uma das principais causas da criação de monopólios na fábrica de alfinetes: retornos crescentes de escala. Na presença de concorrência imperfeita os resultados “smithianos ótimos” ficam sob “júdice”. Só o estado pode combater os monopólios privados. Será que consegue?

A fábrica de alfinetes de Adam Smith

A grande contradição de Adam Smith: a fábrica de alfinetes contra a mão invisível (ou mercantilismo x livre mercado)

1 thought on “A benevolência do padeiro e a contradição básica de Adam Smith: quando o mercado não resolve?”

Deixe uma resposta