A volta do juro real de equilíbrio por aqui

ntnb_2035

O gráfico abaixo mostra a evolução do juro real para 2035 medido por uma NTNB desde seu lançamento em Abril de 2006. Além do pico de 9% na partida e na crise de 2008, na maior parte do tempo essa taxa ficou na casa dos 6%. Em 2012 houve uma impressionante convergência para patamares mais baixos, chegando ao nível dos 4%. Nos últimos meses, com a rápida deterioração de nossos indicadores macro e a subida das treasuries nos EUA para perto de 3%, o juro real das NTNBs foi a 6%. Chegamos a um ponto de equilíbrio? Ou ainda há espaço para maiores subidas? Do ponto de vista de atividade econômica claramente temos um juro real excessivo. A atividade já está debilitada com essas taxas. Não temos mais a fonte de crescimento por expansão de crédito como no passado. O impulso fiscal está prejudicado pela deterioração dos indicadores de dívida pública. O investimento tem pouca força para reagir com custo unitário do trabalho extremamente elevado. A única fonte de demanda mais visível poderiam ser as exportações devido ao câmbio mais desvalorizado.

 

Deixe uma resposta