Boom de commodities e doença holandesa: Australia, Canada e Brasil

Numa dinamica de boom de commodities e doença holandesa o setor de commodities e de bens nao transacionáveis (imóveis e serviços) de uma economia se expande e o setor de transacionáveis não commodities (manufaturas) encolhe. Os salários nominais sobem, o preço dos imóveis sobe e a produtividade geral da economia fica estagnada por conta da transferencia de trabalhadores dos setores de alta produtividade (manufaturas) para os setores de baixa produtividade (serviços, imóveis e commodities). O custo unitário do trabalho em moeda local medido como salário/produtividade aumenta e a taxa nominal de cambio se aprecia. O custo unitário do trabalho em dólares aumenta fortemente, a lucratividade na produção industrial cai, causando retração do setor manufatureiro. O tecido produtivo perde sofisticação e a economia entra num processo de perda de complexidade. A serie de gráficos abaixo mostra com clareza a dinâmica desse processo na Australia, Canada e Brasil nos últimos 10 anos.

ver A economia da bolhaDoença holandesa, aspectos teóricosDoença holandesa na Austrália

cut_2

cut_1

IMG_0802

xs

canada

2012

brasil_1

eci_australia

canada

4 thoughts on “Boom de commodities e doença holandesa: Australia, Canada e Brasil”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *