Ajustamentos da taxa de câmbio

O gráfico abaixo mostra a evolução da taxa de câmbio nominal R$/US$ desde o início de 2005 até o final de 2016. Podemos observar quatro grandes períodos de desvalorização da moeda brasileira: o final do regime em Janeiro de 1999, o ataque de 11 de Setembro de 2001, a transição para o governo Lula e […]

Sobre as depressões no mundo rico

O gráfico abaixo mostra os balanços das famílias, empresas governo americano e estrangeiros em termos de renda e gasto a partir de dados das contas nacionais. Para as famílias são salários menos consumo; para empresas lucros menos investimentos; para governos tributos menos gastos públicos e para estrangeiros exportações menos importações. Quem esta abaixo da linha […]

A China “destruiu” o Brasil com dois golpes fatais

A China deu dois golpes fatais no Brasil nos últimos 20 anos. Por um lado desalojou nossa industria no mercado interno e no mercado mundial com custos baratos, dumping, cambio ultra competitivo e escalas de produção sem precedentes. Por outro lado ao consumir nossa soja e nosso mineiro de ferro forçou nossa especializacao produtiva nesse sentido, […]

Por que a produtividade da economia brasileira não aumentou nos últimos anos?

A resposta é simples. A grande maioria dos empregos gerados nos últimos anos foi em setores com baixa produtividade intrínseca: construção civil, serviços não sofisticados em geral (lojas, restaurantes, cabelereiros, serviços médicos, call centers, telecom, etc…), serviços de transporte (motoristas de ônibus, caminhões, pilotos de avião), entre outros. As comparações internacionais mostram que o grande […]

Como explicar a grande crise do governo Dilma?

A alavancagem de crédito (imobiliário e não imobiliário) provocou um boom de consumo e um boom de construções imobiliárias, resultando em grande aumento de endividamento e oferta de imóveis. Os investimentos foram todos direcionados para o setor de non-tradables (prédios comerciais, residenciais e shopping centers). As desonerações agravaram o problema injetando demanda agregada e complicando […]

Trajetória fiscal piora em 2017, inflação acelera queda

Mesmo com resultados fiscais problemáticos divulgados nos últimos meses, com deterioração na margem, a medida de risco país Brasil (CDS) permanece relativamente acomodada nos 240 pontos, ante os 533 pontos de Setembro de 2015. Sem atividade econômica consistente o governo não consegue arrecadar. Sem arrecadação não há melhora fiscal, dentro de uma estrutura de despesas […]

Porque a produtividade não aumenta de forma consistente no Brasil?

Aqui a explicação na minha opinião de porque a produtividade não aumenta de forma consistente no Brasil. Grosso do PIB concentrado em serviços não sofisticados. Somos incapazes de produzir bens sofisticados e competir no comercio mundial. ver A Evolução setorial brasileira nos últimos anos, Mapa de produtividade de uma economia, Construindo Complexidade, otimo paper empirico sobre o […]

O novo normal do Brasil

O mundo desenvolvido não consegue crescer na velocidade de outros tempos, o desemprego europeu é enorme, os empregos criados nos EUA desde 2008 remuneram mal e a participação dos americanos na forca de trabalho ainda e’ baixa para padrões históricos. Os países emergentes não conseguem crescer para atingir o grupo de economias desenvolvidas: Brexit e […]

A economia da bolha

Numa típica bubble economy os preços de imóveis disparam, a bolsa sobe muito e o déficit em conta corrente abre. O câmbio sobrevaloriza. Os não-transacionáveis (terra e trabalho) ficam muito caros e os transacionáveis manufaturados do exterior (carros, eletrônicos, geladeira, fogão) ficam muito baratos em relação aos da indústria doméstica. As importações voam e as […]

O governo Dilma antes da crise

A taxa de 10% ao ano de crescimento da absorção doméstica da economia brasileira (consumo das famílias, gastos do governo e investimento) no pós crise de 2008 era claramente insustentável, com ampliação de 8% do PIB em 2010 e o restante sendo financiado por deficit externo com explosão das importações. A alavancagem de crédito (imobiliário e […]

A diferença entre Lula I e II: manufaturas e commodities

A primeira fase do governo Lula foi caracterizada por forte expansão da industria e exportação de manufaturas. Isso pode ser visto na evolução da composição da pauta de exportação e na grande expansão da produção industrial. A segunda fase do governo Lula se caracterizou por forte expansão do credito e retração das manufaturas na pauta […]