O juro “neutro” e a trajetória da taxa de câmbio no Brasil

Os choques de juros na economia brasileira desde a implantação do Real decorreram de depreciações cambiais no período de câmbio flutuante ou de reversões de fluxos de capital na época do câmbio fixo. Os juros altos dos últimos 20 anos foram fruto da fragilidade de nossas contas externas e de grandes desvalorizações de nossa moeda. […]

Impressão de moeda e inflação nos EUA

Por incrível que pareça muitos economistas acreditam ainda que impressão monetária gera necessariamente inflação. Nunca se imprimiu tanto dinheiro nos EUA, a inflação por lá está no nível mais baixo de décadas; aliás grande preocupação do FED. Acreditar que impressão monetária gera necessariamente inflação significa ignorar os canas de crédito, confiança, demanda por liquidez e […]

Sistema monetário europeu (SME): a história se repete

Em 1992 George Soros foi um dos responsáveis pela saída da Inglaterra do sistema monetário europeu (SME ou ERM). Um esquema de bandas cambiais bolado para que países que futuramente viriam a se integrar numa moeda só (!) não praticassem desvalorizações competitivas em cima de seus vizinhos. Os câmbios deveriam permanecer dentro de faixas relativas […]

Sobre as depressões no mundo rico

O gráfico abaixo mostra os balanços das famílias, empresas governo americano e estrangeiros em termos de renda e gasto a partir de dados das contas nacionais. Para as famílias são salários menos consumo; para empresas lucros menos investimentos; para governos tributos menos gastos públicos e para estrangeiros exportações menos importações. Quem esta abaixo da linha […]

Neutralidade da moeda

Uma das grandes controvérsias entre economistas até hoje diz respeito à chamada questão da neutralidade da moeda. Para economistas de corte mais keynesiano, a moeda tem efeitos reais na economia, ou seja, é capaz de afetar nível de produção, emprego e renda. Para economistas da linha neoclássica a moeda tende a ser neutra, especialmente no […]