Economia da depleção dos recursos naturais: retornos decrescentes de escala

*escrito com Jhean Camargo

Atividades intensivas em conhecimento como manufaturas high tech e serviços empresarias produzem ideias e conhecimento: não poluem o meio ambiente. Atividades extrativistas e manufaturas low tech poluem o ambiente, são na verdade depleção natural. Nas palavras de Erik Reinert: (http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:http://www.othercanon.org/uploads/SUM%2520paper%2520diminishing%2520returns.doc)

“Podemos dividir todas as atividades econômicas no mundo em duas grandes categorias: a) Atividades em que a oferta de um fator de produção é limitada em quantidade e / ou qualidade por natureza. São atividades baseadas em recursos naturais que estão sujeitas a Retornos Decrescentes. As nações dependentes das atividades de Retornos Decrescentes – onde existe pouco emprego alternativo estão presas a essas matérias-primas e as barreiras para sair dessa dependência são enormes. Sob essas circunstâncias, a nação pode ficar presa em uma situação onde o único sustento possível para uma grande parte de seus habitantes é construir uma vida destruindo o meio ambiente (queimando florestas tropicais, poluindo rios com produtos químicos necessários para lavar o ouro, etc.); b) Atividades em que o fornecimento de todos os fatores de produção é expansível com custos unitários iguais ou inferiores; Retornos Crescentes de escala. As nações que têm grande parte de sua economia nessas atividades – incluindo um setor manufatureiro – descobrirão que, embora as atividades de Retorno Decrescentes possam representar parte de suas exportações, a pressão sobre seus recursos naturais é de natureza muito menos séria.”

Ver também: https://openknowledge.worldbank.org/handle/10986/10042

Deixe uma resposta