Galileo Galilei e a complexidade econômica 

Quando Galileo Galilei apontou seu telescópio para a Lua e depois Júpiter em 1610 ele revolucionou a ciência. Não só a astronomia, mas toda a forma de pensar científica. As contribuições intelectuais de Copérnico, Giordano Bruno e até mesmo as ideias de Johanes Kepler, contemporâneo de Galileu, podiam ser “vistas” e comprovadas. Foi um breakthrough empírico arrasador para as ideias da igreja católica e para a astronomia ptolomaica. Com seu telescópio e suas observações empíricas, Galileu chacoalhou o mundo ocidental. Depois do pequeno livro “sidereus nuncios” (mensageiro sideral) não se poderia mais olhar para o céu e acreditar nas ideias católicas ou até mesmo em Ptolemeu. Algo parecido ocorreu recentemente na economia. Ao desvendar o “cosmos” do comércio internacional com técnicas de Big Data, Redes e Complexidade, Cesar Hidalgo e Ricardo Hausmann trouxeram para a economia um breakthrough empírico da magnitude do telescópio de Galileu. O “observatório da complexidade” (http://atlas.media.mit.edu/en/) demoliu de vez as velhas ideias sobre comércio de Ricardo e seus seguidores. De agora em diante não será mais possível olhar no “telescópio da complexidade” e acreditar nas antigas ideias ricardianas sobre comércio e caminhos para o desenvolvimento econômico.

vídeos sobre complexidade:

sobre Galileo: (https://www.amazon.com/Galileos-Telescope-European-Massimo-Bucciantini/dp/0674736915/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1485811603&sr=8-1&keywords=galileo+telescope+book)

Deixe uma resposta