Antonio Serra explica a riqueza de Veneza e pobreza de Nápoles nos 1600

Veneza se tornou poderosa aos olhos de Antonio Serra porque conseguiu criar um cluster de indústrias, inovação, comércio e pessoas qualificadas, num processo de cumulação causativa a la Myrdal. Estes fatores juntos colocaram Veneza numa trajetória diferente daquela em que Nápoles se encontrava. Para A. Serra, Nápoles não seria capaz de resolver seus problemas econômicos sem criar uma estrutura produtiva semelhante à de Veneza. Nas palavras de A. Serra: “O número de manufaturas também beneficia a cidade; Um fator que traz muita gente lá, não só por causa dos próprios fabricantes, mas também como resultado de dois fatores conjuntos, porque um dá força ao outro: o comércio e situação geográfica”. Sobre as manufaturas de Veneza: “pode haver multiplicações em manufaturas que levam a uma multiplicação de lucros, algo que não acontece na agricultura como não se pode multiplicá-la”.

Ótimo texto a respeito: http://www.othercanon.org/uploads/Reinert%20x%202%20Institutions%20and%20Economic%20Development.pdf

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Giovanni_Botero

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Antonio_Serra

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Antonio_Genovesi

http://www.hup.harvard.edu/catalog.php?recid=31289

ver também: “Um Ensaio sobre as Politicas Públicas e o Desenvolvimento partindo do pensamento de Antônio Serra”, in Oikos, 87-105, July 2000.

nas palavras de Sophus Reinert em seu magnifico livro Translating Empires:

1 - IMG_0661

2 - IMG_0662

3 - IMG_0663

4 - IMG_0664

Ver Atlas da complexidade e estruturalistas

 

4 thoughts on “Antonio Serra explica a riqueza de Veneza e pobreza de Nápoles nos 1600”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *