Inglaterra: a nação protecionista

Nos trechos abaixo destacados do livro Translating Empire de Sophus Reinert a Inglaterra surge como a grande nação protecionista do século 17. Impressiona o relato feito por John Cary em seu livro publicado em 1695 em Bristol sobre as pesadas praticas protecionistas e nacionalistas da Inglaterra nos séculos 16 e 17. Os ataques “comerciais” a Portugal, França e Itália para dominar o comércio de têxteis e a desindutrializacao forçada que Londres impôs a Irlanda para desbancar a concorrência na manufatura de tecidos. Para Cary estava bem claro que o caminho para Inglaterra se expandir era continuar importando matérias primas baratas e exportando manufaturados, roubando os mercados atendidos por Amsterdam, Bruges, Ghent, Florença e Veneza principalmente. A estratégia inglesa revelou-se incrivelmente acertada e no início dos 1800 os 400 anos de protecionismo praticados pelos ingleses deixavam a Inglaterra em posição absolutamente confortável para dominar o mundo com seu “liberalismo”.

http://www.hup.harvard.edu/catalog.php?isbn=9780674061514

1 - image12 - image23 - image34 - image45 - image56 - image67 - image78 - image8

9 - image9

3 thoughts on “Inglaterra: a nação protecionista”

Deixe uma resposta