Não é estado ou mercado: a experiência histórica mostra que casos de sucesso só ocorrem com estado + mercado

Os reis ingleses turbinaram a produção de tecidos com a proibição da exportação de lã e obrigaram o uso de navios ingleses para comércio. As companhias de comércio holandesas faziam guerra e comércio. Alexander Hamilton nos EUA turbinou as leis pro indústria e manufaturas. Os governos da Alemanha, Japão e França sempre promoveram suas empresas dentro e fora. A pujança do setor privado em todos esses países sempre recebeu impulso permanente do estado. A excelência fabril de japoneses, alemães e franceses teve sempre a ajuda do estado. Na Ásia não é possível entender a história coreana sem a mão Forte do general Park, ou o sucesso chinês atual sem todos os desenhos de políticas públicas acertadas. Os países mais ricos do mundo são aqueles com as maiores e mais eficientes empresas, com maior produtividade, com maior alcance de mercado interno e mundial. Não existe riqueza sem uma iniciativa privada pujante. E qual o papel do governo então? Turbinar essa iniciativa privada. Ajudar onde for possível no avanço produtivo; no aumento de produtividade, na criação de novos produtos e inovações tecnológicas. O governo deve ajudar a iniciativa privada a construir um sistema produtivo sofisticado e complexo; deve prover uma infraestrutura institucional e física adequada para que as atividades altamente produtivas floresçam. O segredo do sucesso é estado eficiente + mercado eficiente! Vídeo que gravei sobre o tema:



Bom vídeo TED da Mazzucato:

5 thoughts on “Não é estado ou mercado: a experiência histórica mostra que casos de sucesso só ocorrem com estado + mercado”

  1. Em tempos de tanta ignorancia propagandeada pela mídia ligada ao instituto millenium e blogs e paginas neoliberais administrada por gente q estuda atraves d memes e frases d efeito, ter 1 economista apresentando fatos com base em evidencias é quase q 1 dádiva de Deus. Pena q não é conhecido por 1 publico maior

  2. Excelente! Simples assim! O segredo do sucesso!
    Acho interessante salientar que essa boa iniciativa privada citada não é a predadora e voraz que assola a Ilha de Vera Cruz. Como por exemplo a indústria automotiva, multinacional estrangeira, que por lobby e propina barra qualquer tupiniquim que ouse fabricar carros no Brasil. A indústria de sementes que arruma um jeitinho de bater um papinho com nossos governantes eleitos e suprimir a Embrapa. E tantas outras.

Deixe uma resposta