Por que o livre mercado não é capaz de tirar os países intermediários da armadilha da renda média?

Quando países chegam em níveis de renda per capita de u$10.000 até u$12.000 parece que ficam presos e não conseguem avançar pra cima dos 15.000/U$20.000. Da pra ver isso em mais de uma dúzia de países da África, da América Latina e Ásia. A pergunta que fica é: por quê o próprio mecanismo de mercado não é capaz de fazer com que esses países continuem avançando e entrem em “convergência” como dizem os economistas? A melhor resposta que eu encontrei até hoje foi a de que as estruturas de mercados internacionais de bens e serviços produzidos por países ricos são oligopolistas e monopolistas (ver Reinert 2017, como os países ricos ficaram ricos). Exibem altas economias de escala e escopo, curvas de aprendizagem, sunk costs e grande poder de marca. Portanto fica muito difícil para empresas de países emergentes de renda média conquistarem espaço nesses mercados. Quando olhamos a estrutura produtiva de um país de renda média percebemos que só são capazes de produzir bens e serviços pouco sofisticados e pouco complexos. No comércio mundial os países ricos dominam os nichos oligopolistas de bens e serviços intangíveis de altíssimo conteúdo tecnológico e valor agregado. Os países da renda média ficam tentando penetrar nesses mercados mas raramente conseguem. As empresas já estabelecidas defendem muito bem suas posições. Essa faixa complexa de produtos e serviços exibe sempre características de concorrência imperfeita. Os produtos mudam mas alguns países/empresas conseguem sempre permanecer nesses setores. A concorrência é dinâmica aí tbem, claro. Mas depois que os ricos conseguem dominar os novos produtos high tech ficam sempre nessa fronteira sofisticada.

Para entender a Microeconomia do Desenvolvimento Econômico: poder de monopólio e Michael Porter

Por que o desenvolvimento econômico não ocorre naturalmente em todos os países? Monopólios e concorrência monopolistica no mercado mundial

Como medir complexidade econômica?

A grande contradição de Adam Smith: a fábrica de alfinetes contra a mão invisível (ou mercantilismo x livre mercado)

Como os países ricos ficaram ricos? E por que os pobres continuam pobres?

*paper sobre o tema: https://www.adb.org/sites/default/files/publication/231951/adbi-wp685.pdf

**otima analise: bex064

Referencias:

Porter, M. E., Competitive strategy : techniques for analysing industries and competitors (1980), New York : Free Press, 1980.

Porter, M. E., Competitive advantage : creating and sustaining competitive performance (1985), New York :  Free Press

Porter, M. E., The competitive advantage of nations. Harvard Business Review, p.73-93, Mar./Apr. 1990.

Rainer Kattel & Erik S. Reinert, (2010) “Modernizing Russia: Round III. Russia and the other BRIC countries: forging ahead, catching up or falling behind?,” The Other Canon Foundation and Tallinn University of Technology Working Papers in Technology Governance and Economic Dynamics 32, TUT Ragnar Nurkse School of Innovation and Governance.

Erik S. Reinert, 2010. “Developmentalism,” The Other Canon Foundation and Tallinn University of Technology Working Papers in Technology Governance and Economic Dynamics 34, TUT Ragnar Nurkse School of Innovation and Governance.

Rainer Kattel & Jan A. Kregel & Erik S. Reinert, 2009. “The Relevance of Ragnar Nurkse and Classical Development Economics,” The Other Canon Foundation and Tallinn University of Technology Working Papers in Technology Governance and Economic Dynamics 21, TUT Ragnar Nurkse School of Innovation and Governance.

Reinert, E., (1994), Catching-Up From Way Behind. A Third World Perspective on First World History, in  The Dynamics of Technology, Trade and Growth” (http://www.othercanon.org/uploads/Catching-Up%20From%20Way%20Behind.pdf)

Reinert, E., (2017) Como os Países Ricos Ficaram Ricos… E por que os Países Pobres Continuam Pobre, editora Contraponto, Rio de Janeiro, Brasil

Stiglitz, J.. Greenwald e Aghion (2014), Creating a Learning Society

Faixa dinâmica de produtos complexos: A faixa complexa de produtos exibe sempre características de concorrência imperfeita. Os produtos mudam mas alguns países/empresas conseguem sempre permanecer nessa faixa. A concorrência é dinâmica aí tbem, claro. mas depois os ricos conseguem novos produtos high tech e ficam sempre na fronteira.

Como a Coréia do Sul superou a armadilha da renda média? (E o Brasil não)

Debate James Galbraith x Milton Friedman sobre o tema:

Debate james gailbraith x milton friedman
https://www.econlib.org/archives/2017/07/friedman_galbra.html
1953

Stiglitz comenta o debate
https://www.csmonitor.com/2006/1228/p09s02-coop.html

Paper sobre as duas visões de mundo:
https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/01603477.1984.11489480?journalCode=mpke20

Deixe uma resposta