Nova janela de liquidez na zona do Euro

balanco

Desde que a crise financeira estourou em 2008 mais de 6 trilhões de dólares foram emitidos por diversos bancos centrais e nada de inflação. As economias dos EUA, Japão e Reino Unido se recuperaram, em parte. Europa corre o risco de entrar na terceira recessão desde que a crise começou. A Itália já está nessa situação. Até 2012 os BCS de Europa, Reino Unido e EUA estavam alinhados quanto à expansão de seus balanços. O destaque das operações feitas por Mario Draghi foram as LTROs, com empréstimos diretos para os bancos europeus a taxas convidativas. O pagamento desses empréstimos em 2013 e 2014 acabou contribuindo para a retirada de euros do sistema e contração do balanço do BCE mais recentemente. Agora Draghi anunciou mais uma rodada de estímulos no montante de 1,1 trilhões de Euros com compra de ativos financeiros privados e títulos soberanos na tentativa de reanimar a economia europeia.

Para o Brasil é boa notícia num momento em que o FED pode começar a subir os juros de curto prazo. Uma nova janela de liquidez será criada na Europa, com juros muito baixos que provavelmente ajudarão a contrabalançar o fechamento da torneira de liquidez americana. A impressionante curva de juros da suíça abaixo mostra a situação dos juros hoje no mundo: vértices com juros negativos até o prazo de 10 anos. Na Alemanha os juros de 10 anos voltaram a bater mínima histórica. Nesse cenário o Euro deve seguir se desvalorizando por conta da nova “bazooka” de Mario Draghi. Apesar da recuperação americana, o crescimento no mundo ainda está ameaçado pela desaceleração chinesa e possível recessão na Europa. A crise de 2008 continua por aí depois de mais de 6 anos. 

 

QE

EURO - mensal -  20150123

 

 

Deixe uma resposta