Boom e bust na economia brasileira

O gráfico abaixo mostra a evolução da absorção doméstica da economia brasileira no pós crise de 2008 (consumo das famílias, gastos do governo e investimento). A taxa de 10% ao ano era claramente insustentável, com ampliação de 8% do PIB e o restante sendo financiado por deficit externo com explosão das importações. A alavancagem de crédito […]

Sobre a importância das redes produtivas locais para entender o Desenvolvimento Econômico

As atividades com retornos crescentes de escala exibem fortes externalidades de redes e dinâmicas de aglomeração onde os “first movers” ganham posição de destaque no mercado. São dinâmicas com lock in e portanto “path dependent”. Estão em geral localizadas no setor de bens transacionáveis não-commodities de uma economia. O “filet mignon” da produtividade de um […]

O paradoxo do café no Brasil

Vejamos o caso do café no Brasil que é bem interessante. O Brasil é café; sem café não teríamos nos industrializado e São Paulo não seria São Paulo. Talvez outra commodity tivesse desencadeado nossa industrialização como foi o caso do algodão do sul americano para a indústria que surgiu na nova Inglaterra a partir dos […]

Krugman lê Keynes: por que a crise não acaba?

Vale a pena ler o belíssimo texto Mr Keynes and the Moderns escrito por Paul Krugman para a comemoração dos 75 anos da Teoria Geral promovida pela Universidade de Cambridge em 2011 (paper aqui). Em poucas páginas Krugman nos fornece um precioso resumo das idéias keynesianas. De fácil leitura e surpreendentemente atuais. Depois de ter […]

A fábrica de alfinetes de Adam Smith

A divisão do trabalho, “causa do aprimoramento das forças produtivas”, aparece na obra de Smith como um dos pilares do avanço produtivo e, portanto, dos ganhos de produtividade. O famoso exemplo da fábrica de alfinetes mostra em detalhe como a especialização produtiva e a divisão de tarefas traz ganhos de produtividade. Para Adam Smith a divisão […]