A barreira biogeográfica entre Bali e Lombok na Indonésia

A Linha de Wallace é uma demarcação biogeográfica invisível situada entre as ilhas de Bali e Lombok, na Indonésia. Esta linha foi proposta pelo naturalista britânico Alfred Russel Wallace no século XIX. Ela marca a distinção entre as faunas asiática e australiana, refletindo uma separação histórica das massas de terra que influenciou a evolução das espécies na região.

De um lado da linha, em Bali e outras ilhas ocidentais do arquipélago indonésio, a fauna é predominantemente asiática, com espécies como tigres, elefantes, e rinocerontes. Do outro lado, em Lombok e ilhas mais orientais, a fauna tem características mais próximas das encontradas na Austrália, incluindo cangurus, casuares, e uma maior diversidade de marsupiais.

A existência da Linha de Wallace pode ser explicada pela história geológica da região. Durante os períodos glaciais, quando o nível do mar era mais baixo, as ilhas de Bali e Lombok estavam separadas por uma estreita mas profunda passagem marítima. Essa barreira natural impediu a migração de muitas espécies terrestres entre as duas áreas, resultando em uma divergência evolutiva significativa.

A descoberta e a análise da Linha de Wallace foram fundamentais para o desenvolvimento das teorias de biogeografia e evolução. Elas ajudaram a entender como barreiras geográficas podem influenciar a distribuição e a evolução das espécies ao longo do tempo.

Deixe uma resposta