A Petrobras é a empresa mais inovadora do Brasil em termos de número de patentes

*escrito por Paulo Cezar

Os investimentos em P&D da Petrobras geraram capacitação tecnológica e foram determinantes para o sucesso da empresa, especialmente na exploração e produção (E&P) de petróleo em águas ultraprofundas. O domínio tecnológico evoluiu da simples reprodução para a efetivação de inovações geradas endogenamente. Tais constatações podem ser obtidas ao se avaliar indicadores de impactos da capacidade de geração e absorção de tecnologia. Considerando-se o número de patentes, a PETROBRAS é a empresa que mais deposita patentes no Brasil, conforme Takaki  et al. (2011). Entre 1990 e2006, a companhia realizou 733 depósitos, dos quais 513 nacionais e 220 internacionais. No mesmo período, obteve 216 concessões exploratórias. Outra evidência da importância atribuída pela PETROBRAS ao domínio de tecnologias atreladas às suas áreas de atuação é o fato da empresa, por duas vezes, ter sido agraciada com o OTC Distinguished Achievement Award, prêmio máximo do setor de petróleo, por suas contribuições tecnológicas no que se refere à E&P em águas profundas (Fuck et al., 2010). As externalidades geradas pelas ações da PETROBRAS são marcantes nos projetos que levou a cabo. Dentre as ações da companhia que apresentam um forte viés de política pública, pode-se destacar: o incentivo à criação e ao desenvolvimento de uma indústria para-petroleira no país; a geração de empregos diretos e indiretos; a realização de atividades de P&D que buscam assegurar o domínio de tecnologias estratégicas na produção nacional de petróleo, sobretudo aquelas relacionadas à produção em águas profundas e ultra- profundas, e minimizar o declínio dos campos maduros em terra e mar; a realização de atividades de P&D que visam ao desenvolvimento de tecnologias para refinar o petróleo brasileiro (mais pesado); a realização de P&D em energia renovável; a atuação direta e indireta em atividades de pesquisa e em cursos de pós-graduação relacionados à temática do petróleo e gás natural, entre diversas outras. Alguns exemplos de novas tecnologias geradas que não existiriam sem os projetos com a PETROBRAS: (i) sistema em desenvolvimento sob encomenda para inspeção da parte interna de tubos (sensor ótico que percorre o interior do tubo para diagnosticar, que ‘enxerga’ e ‘mede’ em geo-
metria 3D); (ii) sistema ótico para medir a geometria interna na junção entre dois tubos, para inspecionar a geometria interna do cordão de solda ou o alinhamento de tubos, que gerou patente internacional; (iii) sistema de inspeção em defeitos em matérias compósitos que revestem estruturas metálicas contra corrosão, se está bem aderido o compósito ao material de base; (iv) uma empresa incubada (Photonita) desenvolveu medidor de tensões residuais para analisar a integridade de dutos. O Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (CENPES), por exemplo, unidade da Petrobras voltada para a pesquisa, desenvolvimento e engenharia básica, possui 50 anos de história, e é um dos maiores complexos de pesquisa aplicada à indústria de energia do mundo. É responsável pela coordenação das atividades de pesquisa, desenvolvimento e engenharia básica na Petrobras e também pela articulação com instituições parceiras no desenvolvimento tecnológico.  Já desenvolveu inúmeras tecnologias que de outra maneira estariam completamente indisponíveis seja por barreiras transnacionais seja por inexistirem no planeta Terra. Tecnologias que permitiram desde a exploração do pré sal ao refino de óleos pesados da bacia de Campos. As tecnologias desenvolvidas no Cenpes são aplicadas na indústria através de parcerias nacionais e internacionais que criam valor e eficiência tanto para a Petrobras quando para seus parceiros.

ref: https://agencia.petrobras.com.br/pt/inovacao/petrobras-bate-recorde-de-deposito-de-patentes-em-2023-08-01-2024/#:~:text=A%20Petrobras%20bateu%2C%20pelo%20terceiro,anos%3A%20119%20e%20128%20dep%C3%B3sitos

Deixe uma resposta