Alimentos processados, essências, fragrâncias e extratos: quem fica com o lucro no Brasil?

A Givaudan (iff, firmeniche,todas suíças) compram ingredientes básicos e simples no Brasil e paga preço de banana. Processa tudo isso numa fábrica e produz essências, condimentos e extratos.vende tudo isso para unilever. Esta por sua vez adiciona isso a outras matérias primas e produz alimentos processados; poe suas marcas vende nos supermercados brasileiros. Há oligopsônio na compra dos ingredientes básicos (poucos compradores gigantes) e oligopólio na venda dos alimentos processados (poucos vendedores gigantes). Onde fica o lucro? As matérias primas da África, Asia e América Latina viram lucro na Suíça, Alemanha, França e EUA. Café, cacau, frutas, especiarias, condimentos, fragrancias. Por quê? Poder de monopólio, marcas fortes, concentração de mercado, diferenciação de produtos. Normal de um sistema que busca lucro. Mesmo raciocínio se aplica a aromas, fragrâncias, Perfumes, desodorante, detergente, sabão, bebidas. Frutas naturais para extrair óleo; Especiarias (cravo, canela); Flores (ibisco maracujá), Extratos botânicos E mais de 10.000 matérias primas!

1 thought on “Alimentos processados, essências, fragrâncias e extratos: quem fica com o lucro no Brasil?”

  1. Paulo Gaia tem feitobreves ebem fundamentados artigos em defesa daindústria brasileira.Parabéns

Deixe uma resposta