Balança comercial de fevereiro supera U$5 bilhões

A Bolsa de Valores de São Paulo registrou uma leve recuperação com um aumento de 0,6% ontem. O dia foi marcado por uma sequência de boas notícias, começando com os dados da ADP, que indicaram um mercado de trabalho americano um pouco fraco, com a criação de 140 mil vagas em fevereiro, abaixo das expectativas. O relatório JOLTS também revelou uma quantidade de vagas abertas em relação aos desempregados um pouco mais fraca do que o previsto, com 2 milhões a mais de vagas abertas do que desempregados nos Estados Unidos. Em termos proporcionais, essa relação é de aproximadamente 1,45 vaga aberta para cada desempregado. Embora seja um número mais baixo em comparação com os últimos três meses, ainda está consideravelmente acima da média histórica americana. Essa tendência indica uma desaceleração no mercado de trabalho, mas ainda mantém uma força considerável. Além disso, o Livro Bege, que oferece uma visão macroeconômica da economia americana, corroborou a percepção de uma economia mais arrefecida. O Federal Reserve (Fed) destacou preocupações com o arrefecimento do consumo, refletido na diminuição das menções à inflação no relatório. Isso sugere um cenário mais favorável para possíveis cortes de juros. O discurso do presidente do Fed, Powell, no Congresso americano, reforçou essa perspectiva ao mencionar que a inflação está em apenas 2%, abrindo espaço para cortes de juros. Essa declaração levou os rendimentos dos títulos de dez anos a caírem para 4,13%, uma redução significativa que impulsionou as bolsas americanas e enfraqueceu o dólar, resultando na valorização do real. No cenário nacional, a balança comercial brasileira apresentou um desempenho impressionante, registrando um superávit de US$ 5,4 bilhões em fevereiro, o dobro do mesmo período no ano anterior. No acumulado do ano, o superávit já atinge quase US$ 12 bilhões, contribuindo para a valorização do real, que alcançou a marca de R$ 4,94. Apesar desses indicadores positivos, houve uma queda na produção industrial brasileira em janeiro, aumentando a pressão sobre o Banco Central para cortar as taxas de juros. No geral, o dia foi marcado por notícias favoráveis aos cortes de juros, especialmente nos Estados Unidos, com três conjuntos de dados indicando uma economia mais fraca. O destaque da semana será o próximo dado de payroll na sexta feira.

Deixe uma resposta