BOVESPA sobe 4% em semana de rally tech

A Bovespa teve uma leve correção, recuando para 129 mil pontos, com uma queda de 0,6% na última sexta-feria. Vale ressaltar que a bolsa tem apresentado uma sequência de altas desde o dia 15, registrando um ganho de 4% na semana passada e mantendo um movimento positivo em fevereiro, alinhado ao rali das bolsas americanas. As bolsas dos Estados Unidos atingiram máximas históricas, impulsionando o mercado global. No entanto, o Real perdeu força, quase alcançando a marca de cinco reais em relação ao dólar. Os juros futuros também subiram, refletindo a preocupação com um crescimento mais robusto nos EUA, onde as taxas de juros de dez anos se aproximam de 4,30%. O dólar ganha força mundialmente, se valorizando em relação às moedas emergentes. A semana reserva dados importantes, como o PIB americano do quarto trimestre, esperado próximo a 3,3%, e o PCE, que mede a inflação, com projeção de 0,3% na medida mensal e 2,4% ao ano. No cenário brasileiro, destaca-se o IPCA-15, a ser divulgado amanhã, com projeções de 0,8% na medida mensal e 4,5% acumulado em doze meses. A sazonalidade pode influenciar os resultados, sendo janeiro, fevereiro e março historicamente meses desafiadores para o IPCA. Na sexta-feira, aguarda-se o PIB brasileiro do último trimestre, prevendo um aumento próximo a 0,1%, e um crescimento de cerca de 3% em 2023. Esta seria uma notícia positiva, marcando dois anos consecutivos de crescimento, algo que o Brasil não vivenciava há tempos. Quanto aos mercados, o minério de ferro registrou uma queda de 3% nesta manhã, influenciado por problemas no mercado imobiliário chinês. O petróleo também cedeu, com perspectivas de redução das tensões no Oriente Médio. Os dados econômicos ganham mais relevância a partir de amanhã, com a divulgação do IPCA e, posteriormente, na sexta-feira, com o aguardado PIB brasileiro. Nos Estados Unidos, o foco está no PIB na quarta-feira e no PCE na sexta.

Deixe uma resposta