Brasil pode ser uma potência em biorefinarias para a química verde

Uma biorefinaria é uma instalação industrial que utiliza biomassa, como milho, cana-de-açúcar, beterraba, ou outras plantas ricas em açúcares, para produzir uma variedade de produtos químicos e biocombustíveis, com ênfase principal no etanol e nafta verde. A biorefinaria produz o insumo para combustíveis e indústria química. O equivalente a gasolina para o motor. Sem motor a gasolina não tem função. A produção da biorefinaria precisa encontrar quem a compre. Se as fábricas químicas e as empresas de aviação (QAV) não estiverem funcionando não vai ter quem compre. Analogamente: não adianta incentivar produção de etanol e biodiesel sem incentivar a produção de automóveis híbridos. Então precisa incentivar a produção de químicos para ter demanda por nafta verde. Uma biorefinaria não existe por si. Ela precisa estar integrada a um mercado consumidor. A Nafta verde é utilizada no mesmo cracker que consome a nafta do petróleo. O cracker químico funciona como um motor híbrido.

O processo de uma biorefinaria movida a etanol geralmente envolve várias etapas:

  1. Recepção da matéria-prima: A biomassa, como cana-de-açúcar ou milho, é recebida na biorefinaria e preparada para o processamento. Isso pode incluir a limpeza e a trituração da matéria-prima.
  2. Pré-tratamento: A matéria-prima é então submetida a um pré-tratamento para quebrar as estruturas celulares e facilitar a extração dos açúcares. Isso pode envolver processos como moagem, aquecimento, e tratamento com enzimas ou ácidos para facilitar a liberação dos açúcares.
  3. Hidrólise: Nesta etapa, os açúcares complexos presentes na biomassa são convertidos em açúcares simples, como glicose e frutose. Isso é geralmente feito por meio de processos enzimáticos ou ácidos, que quebram as moléculas de celulose e hemicelulose em açúcares menores.
  4. Fermentação: Os açúcares simples resultantes da hidrólise são então fermentados por microrganismos, como leveduras, para produzir etanol. Durante a fermentação, os microrganismos consomem os açúcares e os convertem em etanol e dióxido de carbono.
  5. Destilação: O líquido resultante da fermentação, conhecido como “mosto”, passa por um processo de destilação para separar o etanol da água e outros componentes presentes na solução. Este processo produz etanol com alta pureza.
  6. Purificação: O etanol destilado pode passar por processos adicionais de purificação para remover quaisquer impurezas restantes e garantir que atenda aos padrões de qualidade exigidos para uso como biocombustível ou em outras aplicações industriais.

Além do etanol, uma biorefinaria pode produzir subprodutos valiosos, como proteínas, fibras, óleos, ácidos orgânicos e outros produtos químicos, dependendo da matéria-prima e das tecnologias utilizadas no processo. Esses subprodutos podem ser utilizados em diversas indústrias, contribuindo para a sustentabilidade e diversificação dos produtos obtidos a partir da biomassa.

Uma biorefinaria pode produzir uma ampla variedade de produtos químicos, além do etanol, dependendo da matéria-prima utilizada e das tecnologias empregadas. Alguns exemplos comuns de produtos químicos que podem ser produzidos em uma biorefinaria incluem:

  1. Ácido Lático: Obtido através da fermentação de açúcares por bactérias específicas, o ácido lático é utilizado na produção de polímeros biodegradáveis, como o ácido polilático (PLA), que é utilizado em embalagens e produtos descartáveis.
  2. Ácidos Graxos e Glicerina: A partir da hidrólise de óleos vegetais, como óleo de soja ou óleo de palma, é possível obter ácidos graxos e glicerina. Esses produtos podem ser usados na fabricação de sabonetes, cosméticos, lubrificantes e outros produtos químicos.
  3. Ácidos Orgânicos: Diversos ácidos orgânicos, como ácido acético, ácido cítrico e ácido succínico, podem ser produzidos a partir da fermentação de açúcares ou de outros substratos orgânicos. Esses ácidos têm uma variedade de aplicações industriais, incluindo na produção de alimentos, bebidas, produtos farmacêuticos e plásticos.
  4. Biodiesel: Além do etanol, as biorefinarias também podem produzir biodiesel a partir de óleos vegetais ou gorduras animais. O biodiesel é um combustível renovável que pode ser utilizado em motores a diesel, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa e a dependência de combustíveis fósseis.
  5. Polímeros Biodegradáveis: Além do PLA mencionado anteriormente, outros polímeros biodegradáveis, como polihidroxialcanoatos (PHA), podem ser produzidos a partir de açúcares ou óleos vegetais em biorefinarias. Esses polímeros têm aplicações em embalagens, produtos médicos, agricultura e outras áreas.

Esses são apenas alguns exemplos de produtos químicos que podem ser produzidos em uma biorefinaria. A pesquisa e o desenvolvimento contínuos estão expandindo constantemente a gama de produtos químicos renováveis que podem ser obtidos a partir de biomassa, contribuindo para uma economia mais sustentável e de baixo carbono.

infos: https://energiaebiogas.com.br/desenvolvendo-tecnologias-para-a-transicao-energetica-o-papel-das-biorefinarias-no-brasil

https://www.missaodesenvolvimento.com/1677694/8503624-10-a-importancia-dos-biocombustiveis-no-brasil

 

criaçaõ da NAFTA na petroquímica:

O processo de criação da NAFTA na indústria petroquímica envolve uma série de etapas que vão desde a extração de matéria-prima até a produção do composto final. A NAFTA é uma mistura de hidrocarbonetos líquidos que serve como matéria-prima essencial na fabricação de uma variedade de produtos petroquímicos, incluindo plásticos, borrachas sintéticas, fibras têxteis e solventes. Aqui está uma descrição geral do processo:

  1. Extração de Petróleo ou Gás Natural: A NAFTA pode ser produzida a partir de duas fontes principais: petróleo bruto ou gás natural. No caso do petróleo, a matéria-prima é extraída de reservatórios subterrâneos através de perfuração e produção. No caso do gás natural, ele também é extraído de reservatórios subterrâneos, mas é composto principalmente por hidrocarbonetos gasosos, que passam por processos de liquefação para obter os componentes da NAFTA.

  2. Refino: Após a extração, o petróleo bruto ou o gás natural são submetidos a processos de refino para separar e purificar os diferentes componentes. A NAFTA é uma fração líquida obtida durante o processo de destilação fracionada do petróleo bruto ou do gás natural.

  3. Fracionamento e Separação: Durante a destilação fracionada, o petróleo bruto ou o gás natural são aquecidos em uma torre de destilação, onde os componentes evaporam em diferentes temperaturas. A NAFTA é separada das outras frações, como gás liquefeito de petróleo (GLP), gasolina, querosene e óleo diesel.

  4. Tratamento e Purificação: Após a separação, a NAFTA pode passar por processos adicionais de tratamento e purificação para remover impurezas e contaminantes. Isso pode incluir processos de desidratação, dessulfurização e remoção de compostos indesejados.

  5. Armazenamento e Distribuição: A NAFTA purificada é armazenada em tanques de armazenamento antes de ser distribuída para as instalações petroquímicas. A distribuição pode ocorrer por meio de oleodutos, caminhões-tanque ou navios petroleiros, dependendo da localização das instalações de produção e das necessidades do mercado.

  6. Utilização na Indústria Petroquímica: Uma vez entregue às instalações petroquímicas, a NAFTA é usada como matéria-prima na produção de uma variedade de produtos petroquímicos. Por exemplo, ela pode ser convertida em eteno e propeno por meio de processos de craqueamento, que então servem como blocos de construção para a fabricação de plásticos, borrachas e outros produtos.

Em resumo, o processo de criação da NAFTA na indústria petroquímica envolve a extração ou produção da matéria-prima, seguida pelo refino, fracionamento, tratamento, armazenamento, distribuição e utilização em processos de produção petroquímica para fabricar uma variedade de produtos finais.

 

criação da NAFTA verde em biorefinarias: (2,5 vezes o preço da nafta fóssil)

A NAFTA verde é uma alternativa sustentável à NAFTA tradicional, pois é produzida a partir de biomassa renovável, como resíduos agrícolas, madeira, cana-de-açúcar ou outras fontes de biomassa lignocelulósica. A produção da NAFTA verde em biorefinarias envolve várias etapas:

  1. Coleta e Preparação da Biomassa: A primeira etapa envolve a coleta da biomassa, que pode ser resíduos agrícolas (como palha de trigo, bagaço de milho), resíduos florestais, resíduos de madeira ou outras fontes de biomassa. Esses materiais podem passar por processos de preparação, como trituração ou moagem, para facilitar a conversão.

  2. Pré-tratamento da Biomassa: A biomassa é pré-tratada para quebrar sua estrutura e tornar os componentes disponíveis para a etapa seguinte de conversão. Isso geralmente envolve processos físicos, químicos ou biológicos, como moagem, hidrólise ácida ou enzimática, para quebrar as ligações celulósicas e hemicelulósicas.

  3. Conversão da Biomassa em Hidrocarbonetos: Após o pré-tratamento, a biomassa é submetida a processos de conversão termoquímica ou bioquímica para produzir hidrocarbonetos. Isso pode envolver processos como pirólise, gaseificação, fermentação ou processos catalíticos. Esses processos convertem os açúcares, lignina e outros compostos presentes na biomassa em hidrocarbonetos.

  4. Separação e Purificação: Os hidrocarbonetos produzidos são então separados e purificados para obter a NAFTA verde. Isso pode envolver processos de destilação, fracionamento e purificação para remover impurezas e compostos indesejados.

  5. Armazenamento e Distribuição: A NAFTA verde purificada é armazenada em tanques de armazenamento antes de ser distribuída para uso final. A distribuição pode ocorrer por meio de caminhões-tanque, oleodutos ou outros meios de transporte, dependendo da localização das biorefinarias e das necessidades do mercado.

  6. Utilização na Indústria: A NAFTA verde pode ser utilizada como matéria-prima na indústria petroquímica para produzir uma variedade de produtos, incluindo plásticos, solventes, lubrificantes e combustíveis. Sua utilização contribui para a redução das emissões de gases de efeito estufa e promove a transição para uma economia mais sustentável e de baixo carbono.

Em resumo, o processo de criação da NAFTA verde em biorefinarias envolve a coleta e preparação da biomassa, pré-tratamento, conversão em hidrocarbonetos, separação e purificação, armazenamento, distribuição e utilização na indústria petroquímica, contribuindo para a redução das emissões de carbono e promovendo a sustentabilidade ambiental.

Deixe uma resposta