Breve história da invasão do Afeganistão pela URSS e do surgimento do Talibã

A invasão do Afeganistão pela União Soviética ocorreu em 1979, em meio à Guerra Fria. A União Soviética justificou sua intervenção como uma tentativa de estabilizar o governo pró-comunista afegão e conter a influência ocidental na região. No entanto, a invasão provocou uma guerra prolongada e brutal, com guerrilheiros afegãos, apoiados pelos Estados Unidos e outros países, lutando contra as forças soviéticas. O conflito resultou em milhares de mortes e deslocamentos em massa, alimentando o surgimento do movimento mujahideen, que desempenhou um papel significativo na eventual retirada das tropas soviéticas em 1989. A invasão do Afeganistão pela URSS é frequentemente vista como um dos eventos que contribuíram para o declínio do poder soviético e a queda do regime comunista.

O movimento mujahideen foi um grupo de combatentes islâmicos que lutaram contra a ocupação soviética no Afeganistão durante a década de 1980. Originado principalmente das áreas rurais do país, os mujahideen eram compostos por diversos grupos étnicos e tribais, unidos por sua oposição à presença soviética. Eles receberam apoio de diversos países, incluindo os Estados Unidos, Arábia Saudita, Paquistão e outros estados muçulmanos.

Os mujahideen empregaram táticas de guerrilha para combater as forças soviéticas, incluindo emboscadas, minas terrestres e ataques surpresa. Eles foram capazes de resistir efetivamente à superioridade militar da União Soviética, infligindo perdas significativas às tropas invasoras.

O apoio estrangeiro foi crucial para a capacidade dos mujahideen de continuar sua luta. Os Estados Unidos, em particular, forneceram armas, treinamento e financiamento através da CIA e de outras agências, enquanto o Paquistão serviu como uma importante base de operações e rota de abastecimento para os combatentes afegãos.

A guerra contra os soviéticos foi extremamente custosa em termos humanos e materiais, resultando em um grande número de baixas e deslocamentos internos. No entanto, a determinação e a resistência dos mujahideen desempenharam um papel crucial na expulsão das tropas soviéticas do Afeganistão em 1989.

Após a retirada soviética, o movimento mujahideen se fragmentou em facções rivais, dando origem a uma guerra civil prolongada que eventualmente permitiu o surgimento do Talibã e outros grupos extremistas. Embora tenham desempenhado um papel fundamental na expulsão dos soviéticos, muitos dos mujahideen se tornaram figuras controversas na história afegã devido ao seu envolvimento subsequente em conflitos internos e ao surgimento do fundamentalismo islâmico no país.

O Talibã é um grupo fundamentalista islâmico que surgiu no início da década de 1990 no Afeganistão. Sua história está intimamente ligada aos conflitos que assolaram o país após a retirada das tropas soviéticas em 1989 e a subsequente guerra civil entre facções mujahideen rivais.

O movimento Talibã ganhou força no início da década de 1990, principalmente no sul do Afeganistão, em meio ao caos e à instabilidade que permeavam o país após a retirada soviética. Formado por estudantes fundamentalistas islâmicos conhecidos como talibãs, o grupo rapidamente ganhou apoio de certos setores da população afegã, especialmente em áreas rurais, devido à sua promessa de restaurar a ordem e impor a lei islâmica estrita, conhecida como sharia.

Em 1996, o Talibã capturou a capital afegã, Cabul, e estabeleceu um governo baseado na interpretação radical da lei islâmica. Durante seu regime, que durou até 2001, o Talibã impôs uma série de restrições draconianas, especialmente às mulheres, proibindo-as de frequentar escolas e trabalhar fora de casa, além de impor punições severas por violações da sharia.

Internacionalmente, o Talibã tornou-se um foco de preocupação devido à sua proteção ao grupo terrorista Al-Qaeda, liderado por Osama bin Laden. Em 2001, após os ataques de 11 de setembro nos Estados Unidos, atribuídos à Al-Qaeda, o governo dos EUA exigiu que o Talibã entregasse Bin Laden, o que foi recusado, levando à invasão liderada pelos EUA do Afeganistão para derrubar o regime talibã.

Após a invasão, o Talibã foi deposto do poder, mas não foi completamente eliminado. Em vez disso, o grupo se transformou em uma insurgência, lançando uma guerra de guerrilha contra as forças de coalizão lideradas pelos EUA e o governo afegão apoiado pelo ocidente. Durante os anos seguintes, o Talibã manteve sua influência em partes significativas do país, especialmente nas áreas rurais e montanhosas.

A história do Talibã é marcada por ciclos de conflito, negociações de paz, e uma ascensão e queda em termos de poder e influência. Em 2021, após a retirada das tropas americanas e aliadas do Afeganistão, o Talibã lançou uma ofensiva que culminou na retomada do controle do país, levando a uma nova era de incerteza e preocupação sobre o futuro do Afeganistão e de sua população.

Boa série sobre o tema: https://m.imdb.com/title/tt15260794/

Deixe uma resposta