Monetaristas (ortodoxos) contra Desenvolvimentistas (heterodoxos)

Existem no país hoje, e desde sempre, duas grandes correntes de economistas com visões de mundo bem distintas acerca do desenvolvimento e crescimento. Para o grupo dos ortodoxos ou monetaristas, o desenvolvimento econômico tende a ser um processo natural e que depende basicamente de boas políticas internas, tais como: governo parcimonioso que não tribute demais, […]

Diversificação produtiva no modelo econômico do Chile

Em um trabalho de 2004 (texto aqui) Dani Rodrik analisa com maestria o papel da política industrial no desenvolvimento econômico no passado e nos dias de hoje. Mostra que nem a visão neoclássica do estado “hands off”  nem a visão do velho desenvolvimentismo estão certas em relação ao papel que a política industrial exerceu e […]

A engrenagem do mundo gira e os países pobres continuam pobres: por quê?

Os países ricos têm estruturas produtivas sofisticadas: manufaturas high tech e serviços empresariais de ponta. Dominam marcas, patentes e tecnologias avançadas. Estão na fronteira da inovação tecnológica. Produzem o máximo possível em seus territórios e exportam para o mundo (Alemanha, Suíça, Nórdicos, Coreia e Japão). Transferem produção (raramente o core tecnológico) para países em desenvolvimento […]

A substituição de importações não funcionou na América Latina. A promoção de exportações funcionou no Leste da Ásia

O modelo de substituição de importações cria capacidade produtiva local ao bloquear o acesso as importações. Esse modelo da aos produtores locais a vantagem de usar a escala do mercado doméstico a seu favor. Funciona inicialmente mas acaba produzindo tecnologias antiquadas e “reinvenção da roda”. No primeiro momento de desenvolvimento da indústria doméstica esse é […]

Por que a divergência de renda entre países pobres e ricos no mundo so aumenta?

Uma dinâmica de urna de Polya, em homenagem ao estatístico e matemático búlgaro George Polya, ilustra bem as vantagens e desvantagens da abertura comercial para o desenvolvimento econômico. Imagine uma urna que contém inicialmente 10 bolinhas azuis e 10 bolinhas vermelhas; agora para cada bolinha azul retirada aleatoriamente da urna, acrescente mais uma azul e […]

Os robôs chineses vão conquistar o mundo (o Brasil não tem robôs)

*escrito com Edouard Mekhalian Hoje os dados sobre a China em relação a modernização de suas indústrias/manufaturas é impressionante. 1/3 da produção global de robôs industriais do planeta está indo para a China. São mais de 150.000 robôs por ano que são instalados nas manufaturas chinesas, sendo que aqui no Brasil, quando muito chegamos a […]

Doença holandesa: Indonésia, Nigéria e Noruega

Numa das referências importantes da literatura, Gelb (1988) discute o caso de países que teriam sofrido desse mal nos anos 80 devido às altas reservas de petróleo. Analisa os resultados do choque do petróleo para seis economias com abundância desse recurso: Indonésia, Algéria, Equador, Nigéria, Trinidad e Tobago e Venezuela. O autor constrói um índice […]

Como os países ricos ficaram ricos? E por que os pobres continuam pobres?

Não poderia ter saído em melhora hora a versão em português do livro mais importante de Erik Reinert (editora Contraponto). Trate-se de um dos melhores livros já escritos sobre a história e a teoria do desenvolvimento econômico. Em tempos de vitória de Trump e Brexit não custa repetir uma frase dita ad nauseam nos anos […]

Por que o Brasil minera ferro mas não é capaz de produzir máquinas de mineração?

A maioria dos países produtores de commodities não desenvolve sua cadeia de produção upstream: existe uma distância tecnológica e não física. Como um país produtor de petróleo, minério de ferro e soja da o salto pra produzir Software, maquinário e petroquímicos associados a extração dessas commodities? Ou seja, como virar uma Noruega, Finlândia e Austrália […]

Mapa com todos empregos do mundo

O gráfico acima mostra dados de % de empregos para 35 países no mundo a partir das bases da WIOD  (http://www.wiod.org/new_site/home.htm) para 2011. Os países ricos a direita se caracterizam por ter um grande setor de serviços sofisticados (barras em rosa). Os pobres à esquerda (em termos de renda per capita) tem enorme contingente da […]