DARPA, o coração estatal da tecnologia americana

*escrito com André Roncaglia

Importância da DARPA para os EUA

Estabelecida em 1958 em resposta ao lançamento do Sputnik pela União Soviética, a DARPA foi criado pela presidente Dwight D. Eisenhower por um senso de urgência. Washington poderia ter enviado o primeiro satélite ao espaço, mas Moscou chegou primeiro – e não foi porque faltava ciência aos Estados Unidos. O governo americano simplesmente não agiu rápido o suficiente. A ágil agência de pesquisa científica militar não inventaria as coisas sozinha. Em vez disso, seus funcionários olhariam para o cenário científico americano – para universidades, laboratórios militares e empreiteiros de defesa – e canalizariam tecnologias emergentes em megaempreendimentos arriscados para prevenir outro Sputnik. Os projetos incríveis da agência teriam um alto risco de fracasso, mas, se bem-sucedidos, transformariam os militares dos EUA e, possivelmente, a sociedade também. Ao longo dos anos, projetos financiados pela DARPA criaram os blocos de construção do GPS, o primeiro mouse de computador e os protocolos que ajudaram a criar a Internet moderna. A agência foi pioneira na tecnologia stealth que tornou os caças americanos praticamente invisíveis ao radar inimigo. E criou varios novos armamentos, incluindo drones.

Mariana Mazzucato mostra em seu interessante livro de 2014 o papel do estado empreendedor tanto na qualidade de fomento dos estágios iniciais de empresas como Apple, quanto no financiamento e desenvolvimento de tecnologias que depois são apropriadas pela iniciativa privada com grandes lucros. Algumas das tecnologias usadas no novo Boeing 787 foram testadas e desenvolvidas pela Nasa. Num processo recente na organização mundial do comércio sobre subsídios na aviação a Airbus chamou o novo Boeing 787 dreamliner de “subsidyliner”: o avião que mais recebeu subsídios do governo na história da aeronáutica: 5bi U$ do tesouro americano em subsídios diretos e indiretos segundo o processo. Na Europa o aprendizado com o Concorde e os enormes gastos públicos feitos nessa área pelo governo francês e do Reino Unido foram importantes para o futuro desenvolvimento dos aviões da Airbus; os sistemas de fly-by-wire, piloto automático para voo, pouso e decolagem, hidráulica de alta-pressão, freios de carbono, e outras técnicas avançadas para manufaturas ligadas a aviação vem desse projeto. No filme Ford x Ferrari estrelado por Matt Damon e Christian Bale vemos os inúmeros incêndios causados em carros de corrida nos anos 60 por conta do superaquecimento do sistema de freios anteriores ao uso do carbono.

1 thought on “DARPA, o coração estatal da tecnologia americana”

  1. O papel do DARPA foi (e é) fundamental ao desenvolvimento de inúmeras tecnologias por atores privados, principalmente em TICs, internet, IA e muitas outras. Atualmente, a agenda de pesquisa do DARPA ainda guarda muita relação com a agenda privada, como no caso de computação quântica, foco principal das pesquisas atuais do Google/Alphabet. Antes da Mazzucato, o Robert Wade, ex Banco Mundial, identificou vários casos do que ele denomina de políticas industriais “invisíveis” dos EUA, sempre sob o lema da segurança (segurança militar, segurança energética, segurança alimentar e por aí em diante). Segurança é a “falha” de (não) mercado que a política industrial americana procura responder.

Deixe uma resposta