Dinamarca tem carga tributária de 50% do PIB e economia super competitiva!

*escrito com Wilson Andrade

A pequena Dinamarca, na península da Jutlândia, possui grandes empresas globais no ramo farmacêutico. Empresas como Novo Nordisk, LEO Pharma, Genmab, Lundbeck, Zealand Pharma. A Novo Nordisk é a líder global no tratamento de diabetes, sendo a maior fornecedora de insulinas, produzindo metade de toda insulina consumida no mundo. A LEO Pharma é uma empresa que se destaca em medicamentos dermatológicos e patenteou o Calcitropiol utilizado no tratamento de psoríase (doença inflamatória que a pele descama), além de destacar em biotecnologia. A Zealand Pharma é outra empresa importante em biotecnologia. A Lundbeck é uma empresa farmacêutica global com mais de cem anos de atividade. Especializada em psiquiatria e neurologia. Pesquisa, produz e vende produtos farmacêuticos para a psiquiatria e neurologia em todo o mundo. Vale assistir a série Borgen.
A maior empresa produtora de turbinas eólicas do mundo é a dinamarquesa Vestas. Dedica-se ao desenvolvimento, manufatura, venda e manutenção de aerogeradores. Com receita de €12bilhões (2019). Quase a metade da energia elétrica consumida na Dinamarca é produzida a partir dos ventos, cerca de 47% em 2019. A Dinamarca obteve quase metade de seu consumo de eletricidade de usinas eólicas no ano passado, um novo recorde impulsionado por significativas reduções de custos e melhorias na tecnologia para parques offshore (instalados no mar). Uma turbina eólica de 220 metros de altura e com pás de 35 toneladas acaba de atingir um novo recorde mundial, produzindo incríveis 216.000 kWh de energia num período de 24 horas. Isso é o suficiente para alimentar uma casa nos Estados Unidos por 20 anos. A turbina gigante, localizada na costa de Østerild, na Dinamarca, está estabelecendo um novo padrão para a energia eólica. A MHI Vestas Offshore Wind – uma parceria entre a Vestas Wind Systems e Mitsubishi Heavy Industries – revelou o protótipo de 9 megawatt (MW) no final de 2016. A máquina, chamada V164-8.0 MW, é uma versão melhorada no modelo de 8 MW da companhia, e permite produzir ainda mais energia quando está sob condições de vento favoráveis. A produção de energia eólica da Dinamarca atingiu a marca de 140% em relação à demanda energética nacional. Com isso, o país pôde exportar energia para a Alemanha, para a Suécia e para a Noruega.

Deixe uma resposta