É possível transitar direto da agricultura para os serviços, sem passar pela indústria? O caso da Índia

*escrito com Felipe Augusto Machado

No processo de desenvolvimento econômico o emprego nos países pobres transita da agricultura para a industrias low-tech num primeiro momento. Depois para indústrias médium tech, industrias high-tech e por fim serviços empresariais complexos. Café A índia, com sua população gigante, esta tentando cortar caminho. Tem sido citada como exemplo de desenvolvimento liderado pelo setor de serviços, transitando diretamente da agricultura sem passar por industrialização significativa. Informações recentes vêm evidenciando as limitações do modelo, especialmente para países populosos. O ex-conselheiro econômico da Índia @arvindsubraman publicou paper contestando o crescimento médio anual oficial de 7% desta década. Uma mudança de metodologia estaria superestimando o crescimento do PIB, que deveria corresponder a cerca de 4,5% ao ano. Ainda, os serviços sofisticados em que se especializou (TICs) não geram empregos qualificados suficientes e são especialmente suscetíveis à automação. O resultado é uma taxa de desemprego maior entre os mais educados, apesar da boa formação acadêmica.

Referencias:

https://www.bloomberg.com/news/articles/2019-06-11/world-s-fastest-growing-economy-may-not-be-so-fast-after-all

https://timesofindia.indiatimes.com/india/more-education-means-less-employment/articleshow/68889475.cms

https://worldview.stratfor.com/article/why-indias-options-reduce-inequality-are-limited

Mais recentemente a India tambem tem conseguido avancar na producao manufatureira, tomando a 5 posicao mundial em termos de participacao valor adicioando manufatureiro mundial.


um dos grandes destaques tem sido sua industria automotiva:

Deixe uma resposta