Energia solar no Brasil: geração de empregos e bilhões de investimentos no país

A energia solar desempenha hoje um papel fundamental na economia brasileira, impulsionando investimentos, criando empregos e produzindo sustentabilidade. O mundo passou por transformações significativas nas ultimas décadas devido à intensa extração de matéria-prima e demais recursos naturais. No cenário contemporâneo, organizações mundiais e governos buscam implementar medidas que mitiguem tal impacto, optando por alternativas mais sustentáveis na geração de energia em detrimento dos combustíveis fósseis (petróleo, carvão mineral e gás natural). Entre as alternativas existentes, a energia solar emerge como protagonista no esforço global de promover a sustentabilidade e a diminuição do impacto ambiental. No Brasil, essa revolução energética não somente ilumina as casas, mas também materializa um caminho promissor na geração de empregos e na atração de investimentos para o território. A ascensão do mercado de energia solar no país é notável, marcada por avanços significativos no setor de tecnologia, nas políticas governamentais alicerçadas na crescente concepção de que a consciência ambiental é cada vez mais necessária. Pode-se dizer que um dos aspectos cruciais de tal panorama refere-se à contribuição substancial para a geração de empregos. A partir da instalação e da manutenção de sistemas solares em residências, empresas e indústrias, o setor de energia solar tornou-se um importante vetor na construção de oportunidades de trabalho. Os números são promissores. De acordo com dados recentes, o setor de energia solar foi responsável por gerar milhares de empregos de forma direta e indireta nos últimos anos. O país já atingiu a marca de 35 GW de capacidade instalada proveniente da energia solar fotovoltaica. Esse valor abarca tanto as usinas de grande porte quanto os sistemas de geração própria presentes em telhados, fachadas e pequenos terrenos, representando aproximadamente 15,9% da matriz elétrica nacional. De acordo com os dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), desde 2012, a energia solar trouxe ao país um influxo superior a R$ 170 bilhões em novos investimentos. Outro ponto que deve ser destacado é que, além disso, contribuiu com mais de R$ 47,9 bilhões em arrecadação para os cofres públicos, gerando mais de 1 milhão de empregos acumulados.

Esses resultados não apenas fortalecem a economia, mas também desempenham um papel crucial na melhora ambiental, evitando a emissão de 42,8 milhões de toneladas de CO₂ na geração de eletricidade. Essa movimentação ocorre desde os processos de produção de painéis solares até a implementação de projetos de grande porte. Além disso, os profissionais especializados no setor encontram facilmente espaço nesse mercado amplo e dinâmico. Por exemplo, engenheiros, técnicos em energia renovável e instaladores de sistemas solares são alguns dos profissionais que o mercado demanda. Não é à toa que esse nicho impulsiona a economia, operando como pontapé inicial na transição para um modelo mais sustentável na geração e no consumo de energia. Embora a geração de emprego seja fundamental, o influxo de investimentos estrangeiros e nacionais também é uma realidade que alimenta um ciclo virtuoso de crescimento no setor da energia solar, afetando diretamente a dinâmica econômica brasileira. Bilhões de reais são direcionados para o desenvolvimento de infraestruturas e a expansão da capacidade de geração de energia solar. O Brasil possui capacidade instalada de aproximadamente 10,6 GW em suas grandes usinas solares. Desde 2012, essas infraestruturas impulsionaram o país, com cerca de R$ 47,6 bilhões em novos investimentos. Além desse impacto socioeconômico, essas usinas também contribuíram significativamente para uma arrecadação aos cofres públicos, ultrapassando os R$ 16,7 bilhões. Na atualidade, os empresários e gestores estão percebendo que a transição para fontes limpas de energia não é apenas uma escolha ética, mas também um investimento inteligente. A crescente busca por soluções sustentáveis nas operações empresariais não apenas beneficia o meio ambiente, mas também impulsiona a inovação e a competitividade no mercado global.Isso torna a participação de investidores e instituições privadas no setor mais ativa. Esses investidores reconhecem não somente os benefícios ambientais de tal abordagem, mas também visam suas oportunidades lucrativas e de expansão. No mundo, hoje, as grandes empresas que se encontram atentas às práticas sustentáveis investem cada vez mais na adoção de sistemas de energia solar para suprir suas necessidades. Esse investimento deve continuar crescendo por meio de novos estímulos fiscais, linhas de crédito, bem como parcerias estratégicas para ampliar ainda mais as relações comerciais no âmbito internacional. Para o território brasileiro, o setor de energia solar não representa somente uma fonte de eletricidade limpa, mas também mostra-se uma força transformadora do futuro e da própria economia brasileira. A ampla geração de empregos, o aporte de investimentos e a adoção crescente de energia solar para empresas e residências consolidam esse setor como um dos pilares elementares para o desenvolvimento econômico pautado na sustentabilidade do planeta e, consequentemente, da vida.

 

 

Deixe uma resposta