Estado e mercado nos EUA se juntaram para produzir borracha sintética na segunda guerra mundial (GR-S/Government Rubber-Styrene)

*escrito com Felipe Augusto

O início da II Guerra cortou o acesso dos EUA à borracha natural, pois o Japão (Eixo) passou a controlar 90% da oferta do insumo no mundo com a colonização do Sudeste Asiático. Como se tratava de matéria-prima fundamental ao esforço de guerra, os EUA patrocinaram um ousado programa de desenvolvimento de uma borracha sintética, mobilizando indústria, academia e governo. O resultado da cooperação foi a criação da GR-S (Government Rubber-Styrene), uma borracha sintética de propósito geral, que continua sendo a base da maior parte das borrachas sintéticas produzidas até hoje. Produtos complexos demandam grande volume de conhecimento e knowhow. Estes, por sua vez, devido à sua magnitude, somente podem ser acumulados coletivamente, em redes de pessoas e empresas. Reproduzir estas redes em outras regiões é muito mais difícil. Bens simples não precisam de redes. Borracha natural é simples. Por isso o contrabando de sementes para o Sudeste Asiático bastou para levar a borracha brasileira à ruína no início do séc. XX. Países que dependem de recursos naturais são muito mais vulneráveis

1 thought on “Estado e mercado nos EUA se juntaram para produzir borracha sintética na segunda guerra mundial (GR-S/Government Rubber-Styrene)”

  1. Informação importante que eu não possuía!!! Por que os liberais insistem em sua fantasia? o liberalismo é uma utopia, como o comuno!!!!! MÃO INVISÍVEL DO MERCADO!!! A gente até e esquece que eles estavam muito próximos dos tempos das fábulas dos irãs Grimm e Andersen!!!!!

Deixe uma resposta