EUA e Europa tem planos de investimentos de U$500 bilhões em semicondutores, no Brasil vamos encerrar a CEITEC!

*escrito por Julio Leão para o BLOG

Nos EUA o Boston Consulting Group apresentou relatório1 em setembro de 2020, apontando que a estimativa de crescimento da indústria de semicondutores na década de 2020/30 é de 50%. Este relatório também mostra que o governo americano deve investir de US$20B a US$50B para reverter o declínio na fabricação de semicondutores pelos EUA nos últimos 30 anos. Tais investimentos repercutiriam em um aumento da participação americana de 14% a 24% no mercado, respectivamente e além disso gerariam 70 mil empregos diretos de alta qualificação. Ao assumir o governo dos EUA em 2021, Biden apresentou a agenda2 para a área de semicondutores com um planejamento de US$300B em investimentos, sendo que destes, US$50B seriam para investimento em fábricas. Em função da participação dos países europeus em apenas 10% do mercado anual de semicondutores que é de US$400B, 19 países europeus assinam uma declaração3 conjunta em dezembro de 2020 para investir 145B€ nos próximos 2 a 3 anos no desenvolvimento de semicondutores. E no Brasil? O que acontece? O programa de formação de projetistas de circuitos integrados foi encerrado em 2019, um programa que necessitava de um investimento anual de cerca de R$2,5M e formou centenas de pessoas em mais de 10 anos de existência. A construção da fábrica de semicondutores Unitec em andamento em Minas Gerais foi estagnada, faltando cerca de US$80M para sua conclusão, uma parceria público privada que não conseguiu ser finalizada pelos atores envolvidos. A extinção da Ceitec, única empresa com centro de projetos e fábrica de circuitos integrados da América Latina, foi decretada em dezembro de 2020 pelo Presidente da República. Foram investidos R$1B ao longo de 11 anos na Ceitec que está prestes a se tornar viável financeiramente e o governo sem discutir com especialistas, decide liquidar a empresa. A empresa NXP, uma das 10 maiores empresas de semicondutores do mundo, anunciou o encerramento das atividades do centro de projetos em Campinas em janeiro de 2021, que atuou por 23 anos no Brasil e que empregava mais de 100 projetistas. Uma mudança imediata de atitude por parte do governo federal é necessária para evitar a destruição dos investimentos já realizados na área de semicondutores e evitar que o Brasil se torne um grande fazendão, ou pior ainda para uma grande roça, como já foi caracterizado por vários economistas.

 

Referências:

https://www.bcg.com/publications/2020/incentives-and-competitiveness-in-semiconductor-manufacturing

https://joebiden.com/made-in-america/

https://ec.europa.eu/digital-single-market/en/news/joint-declaration-processors-and-semiconductor-technologies

 

 

Deixe uma resposta