FED e BC decidem juros na superquarta

Hoje é a tão esperada “Super Quarta”, com as decisões do FED e do BC brasileiro. O mundo inteiro está em compasso de espera para ver o que o Banco Central americano decidirá. Um dos pontos mais aguardados é a divulgação do Dot Plot, que são projeções das taxas de juros feitas pelos diretores do FED, conhecido como “Summary of Economic Predictions” (SEP). No último SEP, divulgado em dezembro, os diretores projetaram três cortes para 2024, o que reduziria as taxas de 5,5% para 4,75% até o final do ano. Hoje, espera-se ansiosamente para ver se essas projeções serão mantidas ou se serão revisadas para apenas dois cortes, o que teria um impacto significativo no mercado. A reunião do FED é crucial, pois pode dar indicações sobre quando esses cortes de juros ocorrerão, se em junho ou julho. No Brasil, o Copom também divulgará sua decisão sobre a taxa de juros, e a expectativa é que haja um corte de 11,25% para 10,75%. No entanto, a grande incerteza reside no comunicado que acompanhará a decisão, especialmente se o Banco Central manterá a indicação de cortes futuros de mesma magnitude. Isso impactaria diretamente as expectativas do mercado para as próximas reuniões do Copom. A expectativa é que o Banco Central sinalize cortes em maio, mas ainda existem dúvidas sobre o número total de cortes ao longo do ano. Além disso, tivemos a divulgação na China de uma manutenção das taxas de juros conforme o esperado, o que tranquilizou o mercado em relação à atividade econômica chinesa. No Japão, houve uma alta de juros, mas o mercado interpretou como uma medida tímida, sem indicações de mais altas no futuro. No Brasil, destaca-se também o Monitor do PIB da FGV de janeiro, que registrou um aumento de 0,1%, em linha com os dados recentes de atividade econômica no país.

Deixe uma resposta