Getúlio Vargas, o pai da indústria no Brasil. Viva!

*escrito com Fausto Oliveira

Fala-se muito de Getúlio pelas razões erradas. O que seria do país se lá nos anos 40 não tivéssemos formado nosso complexo siderúrgico com a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN)?

O mesmo vale para o complexo cimenteiro, que ganhou expressão na Era Vargas e tornou o país autossuficiente neste insumo básico, possibilitando a urbanização e o desenvolvimento de infraestruturas.

Também não se fala da indústria cerâmica, outra sem a qual a construção das cidades brasileiras tal como são hoje não teria sido possível.

Uma base fundamental de todo esse esforço de montar um país moderno foi a Companhia Vale do Rio Doce, que em suas primeiras décadas de trabalho jamais registrou acidentes como os de Brumadinho e Mariana. Fundada na Era Vargas.

A Companhia Nacional de Álcalis, base de uma indústria química que veio a quase se tornar capaz de produzir química fina, é de 1943, Era Vargas.

Mas aquela que para mim é o maior feito (mais do que a Petrobras) é a Fábrica Nacional de Motores, a FENEMÊ, projeto que poderia nos ter levado a ser um país decente nos dias de hoje.

Sabotada como foi a empresa de Torquato Di Tella na Argentina, a FENEMÊ chegou a produzir veículos e motores próprios. Mas Dutra começou a esvaziar o projeto, que acabou morrendo na mão da Fiat, lá pelo fim dos anos 60.

E, claro, a criação de uma empresa pública de energia que visava garantir autonomia de longo prazo para toda a economia do país, a Petrobras. Viva Getúlio Vargas!

Produzir aço na Coréia do Sul, uma ideia “estapafúrdia” que deu certo!

5 thoughts on “Getúlio Vargas, o pai da indústria no Brasil. Viva!”

  1. Pena que tudo na mão do governo virá pó.
    Dê um deserto para o poder público administrar e em 10 anos faltará areia.

  2. Vargas foi, de fato, o grande estadista brasileiro. Implantou estrutura necessário (aço, energia, química, recursos financeiros – BNDE – para viabilizar a indústria nacional.

Deixe uma resposta