Governo dos EUA impediu NVIDIA de vender para China e montou plano de apoio à empresa

*escrito por Adami Campos

O valor de mercado da empresa NVIDIA atingiu u$1,7 trilhões em fevereiro de 2024. Seus lucros estimados para 2024 estão em u$40 bilhões. A empresa simboliza hoje a febre pela tecnologia de inteligência artificial. Em 2022, a empresa de design de chips Nvidia Corp recebeu ordens das autoridades norte-americanas para parar de exportar chips de computação de ponta para fins de inteligência artificial para a China, medida esta que visava evitar a competição acirrada e o comprometimento da capacidade das companhias chinesas de realizar operações de alta complexidade.

Vide em https://www.reuters.com/technology/nvidia-says-us-has-imposed-new-license-requirement-future-exports-china-2022-08-31/ e https://valor.globo.com/mundo/noticia/2022/12/14/eua-vo-banir-mais-empresas-da-china-do-acesso-a-chips-e-semicondutores.ghtml).

Medida esta que, particularmente, difere da comum ideia de que uma empresa deve simplesmente comercializar seus produtos. Se observa que o estado americano interviu diretamente para que o estado chinês tivesse dificuldades de acesso à tecnologia. O que, inicialmente, poderia prejudicar a própria empresa por perda de vendagem, assim como, restringir a expansão comercial de um setor importante de sua economia, teve resultado inverso.

Os semicondutores, dispositivos que transportam energia elétrica, também conhecidos como “chips”, estão presentes em praticamente todas as etapas do cotidiano cada vez mais digital. Hoje, o resultado econômico da NVIDIA Corp atingiu o expressivo número de US$ 1.7 trilhão de dólares. Um salto muito expressivo dos resultados anteriores e a demonstração clara de como estado e mercado atuam quando a finalidade é uma medida de soberania econômica.

Em 2023, a secretária de Comércio dos EUA, Gina Raimondo, pleiteava que seu departamento precisava de mais capacidade de investimentos para impedir que a China alcance os semicondutores de ponta. Para fazer isso, o Gabinete de Indústria e Segurança do Departamento de Comércio, que gere os controles de exportação para os EUA, precisa de mais financiamento do Congresso. O estado americano atuou no sentido de que as empresas americanas se adaptassem às prioridades de segurança nacional, incluindo os controles de exportação que seu departamento impôs às exportações de semicondutores. (Vide https://fortune.com/2023/12/02/ai-chip-export-controls-china-nvidia-raimondo/).

Podemos depreender do relatório final que apresentou a estratégia da NSCAI para a disputa a era da inteligência artificial. Os Planos de Ação que acompanham descrevem passos mais detalhados que o Governo dos EUA vem implementando. Cito:

“Esta nova era de competição promete mudar o mundo em que vivemos e a forma como vivemos nele. Podemos moldar a mudança que está por vir ou sermos arrastados por ela. Sabemos agora que a utilização da IA em todos os aspectos da vida irá aumentar e o ritmo da inovação continuará a acelerar. Sabemos que os adversários estão determinados a usar as capacidades da IA contra nós. Sabemos que a China está determinada a ultrapassar-nos na liderança da IA. Sabemos que os avanços na IA se baseiam em si mesmos e conferem vantagens significativas ao pioneiro. Agora devemos agir. Os princípios que estabelecemos, os investimentos federais que fazemos, as aplicações de segurança nacional que implementamos, as organizações que redesenhamos, as parcerias que estabelecemos, as coligações que construímos e o talento que cultivamos definirão o rumo estratégico da América. Os Estados Unidos devem investir o que for necessário para manter a sua liderança em inovação, para utilizar a IA de forma responsável para defender pessoas e sociedades livres e para avançar as fronteiras da ciência em benefício de toda a humanidade. A IA vai reorganizar o mundo. A América deve liderar o ataque.“

(Vide em https://reports.nscai.gov/final-report/).

1 thought on “Governo dos EUA impediu NVIDIA de vender para China e montou plano de apoio à empresa”

  1. E ainda temos os neófitos que defendem que o livre mercado e o livre comércio existem. Pode até existir para produção e consumo de bugigangas, mas quando se trata de inteligência e produtos estratégicos, a mão forte do Estado sempre aparece. E está correto. Todas as nações desenvolvidas nunca abriram mão dessa prerrogativa, apenas nós e nosso eterno complexo de vira-latas acreditamos na ladainha liberal.

Deixe uma resposta