Inflação do IPCA-15 acima do esperado

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) foi divulgado, registrando uma alta expressiva de 0,74%. O IPA apresentou uma robusta alta de 0,97%, enquanto o IPC teve uma elevação mais moderada de 0,14%, e o INCC registrou um aumento de 0,26%. No acumulado do ano, o IGPM atingiu queda de 3,18%, marcando a maior deflação de toda a série histórica. (composição do IGP: Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) com 60%, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) com 30%, e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) com 10%). Destaca-se a queda significativa nas commodities agro durante o ano: a soja teve uma redução de quase 22%, o milho diminuiu quase 30%, e o diesel teve uma queda de 16,5%, de acordo com as medidas da Fundação Getulio Vargas (FGV) para o Índice Geral de Preços (IGP). Mesmo com as recentes altas em outubro, novembro e dezembro, o IPA apresentou uma queda anual de 5,60%, a maior da série histórica. Apesar da aceleração da inflação nos preços no atacado, ao longo do ano houve uma deflação considerável, contribuindo significativamente para o controle de preços e a queda da inflação no Brasil em 2023. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) apresentou uma alta de 0,40% no período de 15 de novembro a 15 de dezembro, acumulando 4,72% no ano. Esse número ficou acima das expectativas, que eram de 0,25%. O mercado projeta um IPCA em torno de 4,50% em 2023. O destaque de alta ficou com as passagens aéreas, com uma surpreendente alta de 48% no ano, sendo um dos principais impulsionadores da inflação. Mesmo com a queda nos preços dos combustíveis; serviços tiveram uma alta de 0,65% no IPCA-15. Os núcleos do IPCA pioraram ligeiramente, indo de 0,27% para 0,29%. A difusão subiu de 54,8% para 55,9%, indicando que mais itens passaram por aumentos. Além disso, indicadores de confiança do comércio e serviços revelaram resultados desanimadores, evidenciando a desaceleração econômica em novembro e dezembro. A Bolsa de Valores fechou mais um dia em máxima histórica, atingindo 134 mil pontos, com destaque para empresas ligadas ao varejo e commodities. O cenário de rali de ativos brasileiros neste final de ano, com o Real próximo de R$4,80 e juros longos em torno de 10%, sinaliza otimismo no mercado. O fechamento na máxima do dia, semana, mês e ano indica uma tendência de alta, proporcionando uma forte indicação de compras.

1 thought on “Inflação do IPCA-15 acima do esperado”

  1. O Brasil só tem uma economia voltado para o exterior e, infelizmente de baixa complexidade produtiva. Olhando para dentro, é difícil encontrar alguma mudança estrutural, consistente e sustentável ao longo do tempo para reverter esse cenário de recessão.

Deixe uma resposta