Mercado de trabalho forte nos EUA pressiona juros no Brasil

O cenário se complicou um pouco mais com o Payroll muito forte nos Estados Unidos em Março com a criação de 303 mil vagas, superando a expectativa de 200 mil. Isso demonstra a força do mercado de trabalho, sendo a terceira vez que isso acontece este ano, com três a quatro desvios padrão de erro nas previsões do mercado. Além disso, a taxa de desemprego caiu para 3,8% e a curva de juros americana agora aponta apenas dois cortes este ano. Esta foi a pior semana para as bolsas americanas até agora, embora tenham conseguido subir um pouco na sexta-feira. A sequência de dados do mercado de trabalho da semana passada teve um efeito líquido bastante negativo para os juros, com a taxa de dez anos chegando a 4,4%, a máxima do ano. Além disso, o preço do petróleo atingiu noventa e um dólares, o que também não ajuda devido aos conflitos no Oriente Médio. Há um retorno ao medo de que os juros não caiam nem em junho, com algumas pessoas falando em setembro. Alguns diretores do Fed afirmaram que nem mesmo haverá cortes nos juros, e isso torna o cenário muito mais complicado para a curva de juros americana. A economia dos EUA está de fato robusta, e índices de endividamento privado americano, mostram ainda uma importante deasalavancagem nos últimos anos, o que ajuda a explicar o crescimento por lá, mesmo com juros tão altos. Isso tem impacto direto no Brasil, com o dólar se valorizando e os juros longos atingindo cerca 11%. A Bovespa também caiu, especialmente devido à situação da Petrobras. O cenário de curva de juros nos Estados Unidos acaba penalizando muito os países emergentes, e o Brasil está sofrendo com isso. A semana passada mostrou que o Brasil está no meio do caminho em termos de desvalorização em comparação com outras moedas emergentes. Temos que aguardar os dados importantes dos Estados Unidos esta semana, como o CPI (Índice de Preços ao Consumidor) na quarta-feira e o PPI (Índice de Preços ao Produtor) na quinta-feira. Esses são indicadores cruciais para a inflação nos EUA, e o mercado está muito tenso, acompanhando de perto. No Brasil, o IPCA fechado de março será divulgado na quarta-feira, com expectativa de um número baixo, por volta 0,25%. Tanto para o CPI quanto para o PPI, a expectativa do mercado é de cerca de 0,3% na divulgação desta semana. Vamos aguardar para ver como esses indicadores influenciarão o mercado. Como vimos na semana passada, a economia americana é o que move tudo, e o Payroll mais forte na sexta-feira mudou completamente o cenário. Temos que estar atentos aos indicadores desta semana, pois quando há pressão nos juros no exterior, os ativos emergentes não conseguem se recuperar e performar.

Deixe uma resposta