Mercado de trabalho mais fraco nos EUA

Esta semana foi marcada por uma série de notícias relacionadas ao mercado de trabalho nos Estados Unidos. A narrativa predominante nos últimos dias gira em torno do enfraquecimento do mercado de trabalho americano, o que, inclusive, impulsionou a alta nas bolsas. Na quarta-feira, o relatório ADP revelou uma criação de vagas menor do que o esperado, com 140 mil vagas em comparação com a expectativa de 150 mil. O Livro Bege, divulgado também na quarta-feira, indicou uma atividade econômica um pouco mais fraca, enquanto o relatório JOLTS mostrou uma relação desempregados-vagas abertas mais baixa, em torno de 1,45 vagas abertas para cada desempregado nos Estados Unidos. Historicamente, essa relação era de um para um, mas no pós-pandemia chegou a dois para um, e agora caiu para aproximadamente 1,4. Esses dados apontam para um enfraquecimento do mercado de trabalho. As declarações feitas por J. Powell na quarta e quinta-feira sugerem que os cortes de juros estão próximos, possivelmente começando em maio ou junho. Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu, também expressou uma perspectiva semelhante. Isso levou a uma queda significativa nas taxas de juros, com os rendimentos dos títulos de dez anos caindo de 4,30 para 4,08. Hoje de manhã, um dado crucial dos Estados Unidos apresentou alguns aspectos interessantes. A criação de empregos foi mais forte do que o esperado, com 275 mil vagas em comparação com as estimadas 200 mil. No entanto, a taxa de desemprego aumentou de 3,7% para 3,9%, indicando que mais pessoas estão voltando à força de trabalho. Isso pode ser interpretado como uma boa notícia, pois a oferta de emprego aumenta. O dado positivo foi o aumento salarial modesto, com uma alta de apenas 0,1%, abaixo do esperado 0,2%. Esses elementos indicam que não há um aumento expressivo nos salários. Além disso, o dado de janeiro foi revisado para baixo, de 300.000 mil vagas. Essas notícias são consideradas positivas e podem ajudar a suavizar a reação ao dado de emprego, que foi um pouco mais alto do que o esperado. Outros destaques do dia incluem a divulgação do PIB da zona do euro e o resultado da Petrobras no Brasil. A Petrobras apresentou um lucro menor e uma distribuição de dividendos abaixo das expectativas, o que impactou negativamente suas ações, registrando uma queda de 10% ontem. Portanto, é provável que a Petrobras sofra um pouco mais hoje devido a essa notícia.

Deixe uma resposta