Não esqueça a minha Caloi! Mais uma empresa brasileira que se foi

Até a abertura do mercado brasileiro o único dos 90 a Caloi tinha como única concorrente a Monark. Depois da redução das tarifas, o mercado de bicicletas ficou muito mais competitivo (especialmente com a pressão de países asiáticos) e a Caloi passou a enfrentar grandes problemas; com dificuldade nas vendas de bicicletas partiu para um novo desafio: partiu para o mercado de fitness, agregando saúde, esporte e lazer à marca. Ainda lutando, em 2006 a Caloi inaugurou uma fábrica em Atibaia, desativando a antiga unidade da Avenida Guido Caloi perto da represa de Guarapiranga. Em 2008 a Caloi comemorou 110 anos comercializando mais de 700 mil bicicletas e 100 mil unidades de aparelhos para home fitness. Apesar de ter funcionando ainda por bom tempo e e ter conquistado novos avanços em 2013 a empresa foi vendida para a empresa canadense Dorel, que é proprietária de marcas como Cannondale, Schwinn e GT, entre outras ( https://www.dorel.com/eng/cannondale) Mais uma que se foi! Temos condicoes de competir com as economias de escala dos produtores “barateiros asiaticos”? temos condicoes tem competir com as grandes marcas do mundo? (Specilized, US https://www.specialized.com/br/pt/shop/bikes/c/bikes); (Trek, US, https://www.trekbikes.com/br/pt_BR/); (Bianchi italiana, https://www.bianchi.com/); (ScotTT, Suica, https://www.scott-sports.com/br/pt/sports/bike). A Caloi era uma empresa ineficiente?

Um resumo da história da empresa

No início do século XX Luigi Caloi e Agenor Poletti abriram a Casa Poletti & Caloi, um estabelecimento que alugava, consertava e reformava bicicletas de corrida do Clube Atlético Paulistano em São Paulo. Quatro anos depois, Luigi se tornou representante exclusivo da fábrica italiana de bicicletas Bianchi no país. Em 1924, ele faleceu e seus filhos, Henrique, Guido e José Pedro assumiram o negócio. Depois de algum tempo Guido ficou sozinho com a empresa, que passou a ser conhecida como Casa Luiz Caloi. Em 1942, as dificuldades de importação em virtude da Segunda Guerra Mundial o obrigaram a produzir peças de reposição em um barracão no bairro do Brooklin. Anos mais tarde, em 1948, mesmo com a regularização das importações, a empresa agora chamada Indústria e Comércio de Bicicletas Caloi, manteve sua fabricação, passando a produzir suas próprias bicicletas no Brasil com a inauguração da primeira fábrica de bicicletas do país.

No final da década de 60 a Caloi lançou a famosa Berlineta dobrável que se tornou um grande sucesso na década de 70. Um grande salto da Caloi foi o lançamento da inesquecível Caloi 10. Era a primeira que se lançava uma bicicleta esportiva no Brasil. Outro famoso lançamento foi a Barraforte que se tornou sinônimo de resistência. Uma bicicleta robusta com quadro em aço carbono que se tornou referência histórica no segmento de transporte no país. No final da década de 70 foi à vez da Caloi Ceci, primeira bicicleta feminina do mercado brasileiro com sua famosa cestinha na frente.

No início da década de 80, o lançamento da Caloi Cross marcou a chegada do BMX ao Brasil. Essa bicicleta marcou uma geração de milhões de meninos brasileiros daquela época, eu inclusive! Com a chegada dos anos 90 surge uma nova modalidade de bicicletas, as mountain bikes. A Caloi praticamente introduziu no país esse tipo de bicicleta. A Caloi avançou no mercado brasileiro e tentou até o americano. Inaugurou uma subsidiária em 1990 na cidade Jacksonville na Flórida e patrocinou o campeão do Tour de France, o americano Lance Amstrong, na equipe Motorola-Caloi.

Referência da história completa:

https://vizionbikes.wordpress.com/2014/05/06/conheca-a-magnifica-historia-da-caloi/

História da Monark e Caloi

http://www.saopauloinfoco.com.br/bicicletas-santo-amaro/

História da Caloi contada pela Caloi

http://www.caloi.com/a-caloi/

Wikipedia

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Caloi

História da Monark

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Monark

Monark hoje:

http://www.monark.com.br

Materia sobre a Caloi de 2014:

http://vadebike.org/2014/01/presidente-caloi-contra-reducao-ipi-para-bicicletas/?fbclid=IwAR0EadQTujh79AbTb8acxtrZP18y03HPT3f0FL8X-qOxH1cqUMz_a6bukEo

Debate sobre as tarifas de importacao para bicicletas no Brasil:

1 thought on “Não esqueça a minha Caloi! Mais uma empresa brasileira que se foi”

Deixe uma resposta