O PIB e a recuperação da pandemia no Brasil

O PIB do primeiro trimestre mostrou que a economia brasileira está se recuperando. O destaque ficou com crescimento dos investimentos e das exportações. A taxa de câmbio mais desvalorizada esta promovendo substituição de importações e promoção de exportações de manufaturados. O boom de preços de commodities deve levar nossa balança comercial a um superávit de mais de U$70 bilhões. O consumo das famílias se retraiu. os salários reais caem na medida em que as altas de salários nominais não acompanham a inflação. O gasto do governo segue contraído. Os juros reais negativos dos últimos 12 meses estão provocando um boom imobiliário e de construção civil no país. Muitos investidores passaram a escolher imóveis como opção na falta de investimentos positivos em renda fixa. A inflação segue em alta por conta de preços de insumos no mundo. A falta de chuvas trará bandeira vermelha e alta de preços administrados nos próximos meses. Os IGPs constituam rodando em 30% ao ano. A inflação de serviços segue em 2% ancorada por um monumental nível de desemprego de 15%. Existe hoje uma queda de braço entre preços de atacado e varejo. A estagnação do último aliada ao desemprego deve deixar o ipca na casa dos 5,5% em 2021.

O conjunto de dados atual aponta para um crescimento do PIB de mais de 4% nesse ano no Brasil. O cenário para bolsas aqui e no mundo segue bastante positivo. Mesmo com risco de terceira onda de covid a perspectiva de vacinação anima os mercados de ativos. O cenário geral de redução de risco no Brasil e no mundo coloca pressão de apreciação na moeda brasileira. Juros longos tem reagido com queda também. A recuperação econômica trará mais arrecadação ao governo e ja coloca a situação fiscal em melhor perspectiva. O cenário ficou bastante benigno para os meses adiante.

5 thoughts on “O PIB e a recuperação da pandemia no Brasil”

  1. graças a Deus .tenho pra mim que muito do dinheiro do auxilio bateu nos materiais de construção,na minha cidade mesmo ,apareceram muitas reformas,emendas de casa,construção de muro,tudo isso com dinheiro do auxilio

  2. muito do dinheiro do auxilio acabou indo pra construção,pelo menos foi o que eu vi aqui na minha cidade,onde muitas reformas,construções apareceram

  3. Esse cenário positivo ainda está muito longe, mas muito mesmo, do cidadão, do assalariado e do micro. A recuperação do mais do mesmo talvez, porque a inovação está indo embora a galope. Algumas regiões do país estão prosperando, mas, quanto ao agronegócio, convem botar as barbas de molho, a não ser que o objetivo seja especular com preços de commodities. Bandeira vermelha e seca extrema vão dar uma rasteira nessa sua euforia, aguarde.

  4. Cara-pálida, para quem o cenário ficou benigno? Para mim, assalariada, certamente que não.

Deixe uma resposta