O sucesso da China e o fracasso do Brasil: Manaus x Shenzen

Shenzhen é uma das maiores e mais importantes cidades da China, localizada na província de Cantão (Guangdong), no sul do país, ao norte de Hong Kong. Era uma vila de Pescadores com bem menos de 100mil habitantes nos anos 70, hoje tem mais de 15 milhões de moradores! Foi a primeira cidade chinesa a abrigar uma zona económica especial, implementada pelo governo chinês em 1979 e que transformou radicalmente a cidade, fazendo sua população crescer mais de 5000% nesses últimos 33 anos, e sua economia, mais de 9000% desde então. De fato, o poderio econômico e influencia populacional hoje apresentada por Shenzhen — figurando hoje como um dos principais centros financeiros, urbanos, culturais e administrativos da China atual — é fruto do investimento estrangeiro, baseado na política da “abertura para o Ocidente”. Em 2010, Shenzhen ficou na 4ª posição entre as grandes cidades mais ricas da China, ficando atrás somente de Xangai, em primeiro, da região autonoma de Hong Kong, em segundo, da capital Pequim, em terceiro.

A Zona Franca de Manaus é um polo industrial na cidade de Manaus. Foi criada pelo decreto-lei número 3.173 de 6 de junho de 1957 e depois aprimorado por nova lei de 1967. Com o propósito de impulsionar o desenvolvimento econômico da Amazonia e Administrado pela superintendência da zona franca de Manaus (SUFRAMA), o polo industrial abriga hoje cerca de 600 indústrias concentradas nos setores de: eletroeletrônicos, químico e motocicletas. Nos últimos anos, o polo recebeu um novo impulso com os incentivos fiscais para a implantação da tecnologia de televisão digital no Brasil. Entre os produtos fabricados destacam-se: aparelhos celulares de áudio e vídeo, televisores, motocicletas, concentrados para refrigerantes, entre outros. Há também um pólo agropecuário abriga projetos voltados à atividades de produção de alimentos, agroindústria, piscicultura, turismo, beleza, beneficiamento de madeira, entre outras. As indústrias instaladas na Zona Franca de Manaus recebem os seguintes benefícios fiscais: Isenção do imposto de importação e exportação, isenção de IPI, desconto no ICMS, e isenção temporária de IPTU.

Leituras sobre Alexander Hamilton:

2 thoughts on “O sucesso da China e o fracasso do Brasil: Manaus x Shenzen”

  1. Parabéns Paulo,
    Obrigado por mais um vídeo informativo, lhe parabenizo pelo trabalho que vem fazendo.
    Lhe acompanho já algum tempo e pretendo em breve fazer um curso com o seu material.
    Atenciosamente,
    Bruno Oliveira

  2. Shenzen: mão de obra barata, câmbio depreciado, produziu para o mercado externo. seriedade na gestão. ZF Manaus, um monte de incentivo, cambio favorecido para importar com financiamento do BB por 180 dias, virou corredor de importados, e ainda precisou do xerife Romeu Tuma para coibir um brutal desvio de devisas.

Deixe uma resposta