Petrobrás corta preços do diesel

Mais um dia de recordes na Bovespa, atingindo a marca de 133 mil pontos: alta de 6% no mês e expressivos 22% no acumulado do ano. O dólar também apresenta uma tendência de enfraquecimento em relação a outras moedas, registrando uma cotação de quatro e oitenta e dois pela manhã, e agora estabilizado em quatro e oitenta. Na curva de juros, a trajetória permanece a mesma, com os vértices mais longos se aproximando dos dez por cento. A parte intermediária da curva já se posiciona abaixo de dez por cento, refletindo uma perspectiva de Selic em pelo menos 9% para o próximo ano. Este cenário se desenha como favorável para o Brasil, com a bolsa em alta, os juros em queda e a moeda brasileira ganhando força. O impulso é ampliado pelo desempenho positivo das commodities. O preço do minério de ferro atingiu a máxima em dez meses, superando 140 dólares. O petróleo também registrou um aumento de dois por cento, retornando aos oitenta dólares. A Petrobras, em consonância, teve um sólido avanço de dois por cento. Apesar do vigor nas bolsas e commodities, as empresas cíclicas domésticas ainda não acompanharam totalmente o ritmo. O mercado aguarda movimentos nessas áreas, que permanecem relativamente atrasadas em comparação com outros setores. A notícia de ontem sobre o corte de 7% no preço do diesel pela Petrobras é relevante. A redução, a segunda em dezembro, busca alinhar o valor do diesel às condições do mercado. Este ajuste, especialmente considerando a iminente reoneração dos combustíveis, impacta positivamente a economia brasileira, neutralizando possíveis efeitos inflacionários. A agenda econômica está parcialmente esvaziada, sendo o destaque para o IPCA quinze, que será divulgado amanhã, oferecendo uma prévia da inflação brasileira na primeira quinzena. No cenário internacional, as bolsas nos Estados Unidos apresentaram ganhos, embora o volume de negociações tenha diminuído devido à proximidade do final do ano. Encerramos o ano com um notável rali nos ativos brasileiros, evidenciando a força do mercado.

Deixe uma resposta