Pobreza e riqueza das nações na visão de um turista

Quando visitamos países ricos como turistas o que mais impressiona é a limpeza das ruas, a organização do trânsito, o cuidado com as praças, parques, jardins,etc. Suíça, Dinamarca, Suécia, Londres são muito parecidos nesse aspecto. Andando pelas ruas notamos essas diferenças claras em relação a países pobres e emergentes. No entanto, algumas coisas são idênticas: caixas de supermercado, atendentes e vendedores de loja, cabeleireiros, motoristas de taxi e de ônibus, garçons e chefes; nesse último caso podemos dizer que alguns países emergentes até superam os ricos. Essas atividades todas são chamadas por economistas de serviços tradicionais ou pouco escaláveis; não encontraremos a diferença entre países ricos e pobres. Onde está então? Nos chamados serviços escaláveis (dentro dos arranha céus) e nas indústrias médium Tech e high tech, invisíveis a olhos nus; o que vemos são os produtos (Boeing, Airbus, bmw, audi, Toyota, Hyundai, Siemens, bayern, pfizer, caterpillee, etc!). A riqueza dos países ricos está escondida dentro de seus prédios e das fábricas, não conseguimos ver isso como turistas. Gravei um vídeo breve sobre o tema:

*dados Suíça: https://atlas.media.mit.edu/en/profile/country/che/

Deixe uma resposta