Quem foi o pai da Economia?

Adam Smith levou a fama com o livro a Riqueza das Nações! Mas muito antes disso os gregos (xenofontes, http://www.cartaforense.com.br/conteudo/colunas/xenofonte—licoes-de-economia-com-socrates—parte-i/8355) já se questionavam sobre enigmas econômicos. O grande intelectual árabe Ibn Khaldum (https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ibne_Caldune) escreveu sobre o tema. O processo de desenvolvimento sempre intrigou os economistas. o italiano Antonio Serra(https://en.m.wikipedia.org/wiki/Antonio_Serra) Nápoles, no início do século XVII; John Cary( https://en.m.wikipedia.org/wiki/John_Cary_(businessman)), de Bristol, no final do século XVII; ou Duarte Ribeiro de Macedo( https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Duarte_Ribeiro_de_Macedo), de Portugal, na mesma época – indagavam sobre o que fazer para acelerar o progresso do reino e alcançar riqueza para todos, Antônio Genovesi (https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Antonio_Genovesi) e tantos outros. Muito antes de Adam Smith ter escrito o livro que se tornou clássico, esses economistas já observavam a questão da riqueza e da pobreza das nações, que perdura até hoje e continua inflamando corações e mentes. Gravei um vídeo sobre o tema:

4 thoughts on “Quem foi o pai da Economia?”

  1. Paulo (perdoe-me se o trato assim!) gosto dos seus textos, pois aprendo muito com eles. Este, então, sobre quem foi o Pai da Economia, é ótimo, A maioria de nós acha que foi Adam Smith, mas você mostra que ele é mais uma estrela na constelação de pensadores que se ocuparam do tema.

  2. Paulo o conhecidíssimo pré-socrático Thales de Mileto ( um dos principais precursores da física ) foi também um expert em economia e finanças tendo inclusive enriquecido ao prever o comportamento dos mercados na sua época. https://pt.wikipedia.org/wiki/Tales_de_Mileto “Usando seu conhecimento astronômico e meteorológico (provavelmente herdado dos babilônios), Tales previu uma excelente colheita de azeitonas com um ano de antecedência. Sendo um homem prático, conseguiu dinheiro para alugar todas as prensas de azeite de oliva da região e, quando chegou o verão, os produtores de azeite tiveram que pagar a ele pelo uso das prensas, o que o levou a ganhar uma grande fortuna com esse negócio.”
    PS: Com o perdão do uso da Wikipédia como referência.

  3. Smith só esqueceu que se todo país tiver produção em escala, não haverá demanda suficiente para tanta produção, ainda tem a questão da materia prima, energia, poderia levar a colapso, então isso só funciona para alguns individuos ou países, pois isso gera monopólio, então a Inglaterra teve o mundo todo como consumidor, por isso deu certo, se tivesse acontecido simultaneamente, não teria sido assim, então a mão invisível, só afaga alguns, logo, não tem bem estar em escala global nunca

Deixe uma resposta