Tragédia no Rio Grande do Sul

Ontem, o mercado brasileiro esteve um pouco tenso, com a curva de juros sendo mais pressionada, mas a BOVESPA conseguiu se segurar devido ao aumento do preço do petróleo, que atingiu 83 dólares. O bom resultado do Itaú também contribuiu para o desempenho um pouco melhor da bolsa brasileira. No entanto, a questão central do momento é a tragédia no Rio Grande do Sul, onde mais de trezentos municípios foram afetados por enchentes catastróficas, algo sem precedentes na região e no país. A destruição é impressionante, com a parte logística do estado completamente colapsada, incluindo aeroportos e portos fechados, o que dificulta o acesso à região. Além da tragédia humanitária, há preocupações com os efeitos econômicos, incluindo um efeito inflacionário devido à interrupção na produção de alimentos, como arroz e carne, sendo o arroz especialmente importante, já que grande parte do consumo nacional vem do Rio Grande do Sul. Estima-se que o IPCA possa subir entre 0,10 e 0,20 este ano, com os meses de maio e junho sendo os mais impactados. Há também questões fiscais relacionadas aos recursos que serão destinados ao socorro do estado. Esses eventos dominaram o dia de ontem no mercado, com o Brasil se descolando um pouco do cenário internacional, onde houve uma melhora nos Estados Unidos, com a taxa de juros de dez anos caindo para 4,46%, o que é mínimo em semanas. O real se segurou em 5,07 em relação ao dólar, mas foi um dia desafiador para o país. Hoje começa a reunião do COPOM e espera-se que haja um corte de juros de 0,25%. No entanto, não está claro onde termina esse ciclo de cortes, e há uma grande probabilidade de uma votação dividida entre os diretores, com alguns favoráveis a um corte de 0,50%. Além disso, há expectativas em relação ao discurso de Neil Kashkari, diretor do FED, que pode sinalizar uma mudança de tom em relação à política monetária nos Estados Unidos. No Brasil, além da decisão do COPOM, o destaque será a divulgacão do IPCA de abril na sexta-feira, que deve ficar entre 0,10% e 0,20%, indicando uma inflação mais baixa.

1 thought on “Tragédia no Rio Grande do Sul”

  1. lula ira importar arroz para controlar inflacao. nao sei quem do governo anda dizendo a ele que a inflacao é de demanda…

Deixe uma resposta