Tres pequenos países ricos e complexos: Austria, Suíça e Finlândia

Austria, Finlandia e Suica estão entre os países mais complexos e sofiusitcados do mundo. Austria esta hoje na fronteria tecnológica de porducao de aco e matérias metálicos hiper sofisticados. A aldeia austríaca de Donawitz tem sido um centro de fundição de ferro desde o século 14, quando o minério era escavado de minas esculpidas nos picos nevados nas proximidades. Ao longo dos séculos, Donawitz desenvolveu-se como o centro de produção de aço do Império Habsburgo e, no início dos anos 1900, tinha a maior planta de produção da Europa. Com a abertura recenteme  do novo laminador Voestalpine AG a indústria segue robusta e absurdamente produtiva. Nessa fabrica totalmente automatizada 14 pessoas vao produzir 500.000 toneladas de aço por ano. A Finlândia, pequena, rural, periférica e de renda média-baixa no incio do século tornou-se potência industrial e gerou uma empresa de alta tecnologia como a Nokia que esta na vanguarda das redes 5G e serviços digitais. O limitado mercado finlandês dificilmente geraria escala uma campeã nacional neste setor. Foi a estatal Televa que desenvolveu a tecnologia que se tornaria determinante para a ascensão posterior da Nokia: o sistema de comutação digital DX200, ideal para o padrão GSM que seria implementado nos anos 90, dando a ela a vantagem de ser “first mover” em telefonia móvel.

O produto industrializado mais exportado pela Suíça em 2017 foi medicamentos. O produto químico mais exportado pelo Brasil em 2017 foi óxido de alumínio, um bem que os economistas chamam de commodity por não ser um produto sujeito a muitas diferenciações entre produtores concorrentes. No outro extermo, a produção de medicamentos envolve uma intricada divisão do tarefas entre trabalhadores altamente especializados. Trata-se de um processo produtivo muito mais indireto, encadeado e complexo do que óxido de alumínio. Medicamentos são intensivos em P&D e exigem conhecimento formal, prático e organizacional de várias áreas complementares entre si. Esta densidade de know-how custa muito caro às empresas, levando as mesmas a solicitar patentes que garantem direitos de uso exculsivo, a menos que se paguem royalties para usar as ideias e processos inovadores. Como complexidade e conhecimento se retroalimentam, o desenvolvimento de medicamentos gera muito mais inovações e transbordamentos do que a produção de óxido de alumínio.

Matéria da Bloomberg

Para uma explicação dos mapas ver Construindo complexidade

austria_mapa

finlandiafinlandia_mapa

suicasuica_mapa

6 thoughts on “Tres pequenos países ricos e complexos: Austria, Suíça e Finlândia”

  1. Como sugestão, poderias montar as tabelas/gráficos no tableau e torná-las públicas. Assim é possível fazer interações com os gráficos. Qualquer coisa fala comigo, parabéns pelo trabalho, att.

  2. Provavelmente, você tem esse índice calculado para o Brasil, que deve estar numa posição inferior a esses três países, não é verdade? Você tem uma forma, uma política específica para o Brasil seguir nessa direção de aumento de complexidade produtiva? A China foi por um caminho de competitividade cambial, alta porcentagem de investimento, e de impostos reduzidos nas Zonas de Produção para Exportação. Você indicaria essa trajetória para o Brasil?

Deixe uma resposta