Varejo mostra sinais de fraqueza nos EUA

Na esteira do crescimento mais fraco na China houve uma queda nas commodities, com o preço do petróleo voltando a atingir os U$80. As moedas emergentes também tiveram uma leve queda ontem devido aos resultados da China. No Brasil, o real se desvalorizou um pouco, chegando a R$4,80. O dado mais importante desta manhã é o de vendas no varejo nos Estados Unidos. Esperava-se um crescimento de 0,5% em junho em comparação com maio, mas houve apenas um aumento de 0,2%. Esses números indicam um varejo mais fraco do que o esperado e sinalizam uma desaceleração na atividade econômica. Além disso, dados da atividade da região de Nova Iorque também mostraram desaceleração, reforçando a ideia de que a economia está perdendo impulso. O mercado já está se inclinando para a possibilidade de um aumento nas taxas de juros pelo Fed na próxima semana em 0,25% e término do ciclo de alta de juros. Além disso, alguns diretores do do Banco Central Europeu apontaram que o ciclo de alta de juros na Europa também está próximo do fim. Esse cenário tem impulsionado a alta nas bolsas europeias, considerando que eles estão um pouco atrasados no ciclo de juros. O ciclo de alta provavelmente terminará próximo de 4% na zona do euro, o que representa um aumento significativo em relação ao início do ciclo quando a taxa era de -1%. Isso é semelhante ao que está ocorrendo nos Estados Unidos, onde a taxa saiu de 0% e pode chegar a 5,50%, uma variação de 5,50%. No segundo semestre, espera-se o término dos ciclos de alta de juros tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, com uma maior possibilidade de corte nas taxas de juros em 2024.

Deixe uma resposta