O Brasil é um imenso mar de empregos de baixa qualificação para produzir bens simples e serviços não sofisticados

Uma conta rápida: importamos e exportamos todo ano aproximadamente U$200 bilhões ou R$800 bilhões a um câmbio de R$4,00. Importamos bens super sofisticados: smartphones, maquinas de última geração, Fármacos, química fina, mecânica de alta precisão: o grosso do que importamos são bens industriais que pagam altos salários na produção lá fora (empresas que operam com economias de escala e escopo, na crista da onda tecnológica). Exportamos café, açúcar, soja e minério de ferro. Produtos que empregam um mínimo de pessoas e na melhor das hipóteses usam técnicas ultra sofisticadas para “extrair mais da natureza”; não há geração de conhecimento e ideias relevantes. As importações de manufaturas representam uns 12% do PIB, mais que a indústria da transformação produz hj no Brasil. O grosso do PIB são serviços não sofisticados, economia da Padoca. 5 trilhões de PIB para produção de coisas simples e não sofisticadas. (PIB total 6,5 tri)

Dados aqui: https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/bra/

Brasil: a economia da padoca

https://www.paulogala.com.br/por-que-a-produtividade-da-economia-brasileira-nao-aumentou-nos-ultimos-anos/

Deixe uma resposta